Relógio do Apocalipse está mais perto do fim do mundo em 64 anos

Wikimedia Commons/Reprodução

O Relógio do Juízo Final, um relógio simbólico criado em 1947 pelo Bulletin of the Atomics Scientists da Universidade de Chicago, foi adiantado para perto do apocalipse. A meia-noite do relógio representa uma destruição global, seja por catástrofes nucleares ou ambientais. A última vez em que os ponteiros se moveram foi em 2015, após avaliarem que líderes globais falharam em agir com velocidade para proteger a população de uma possível catástrofe.

As declarações do novo presidente dos Estados Unidos, Donald J. Trump, foram levadas em consideração no novo horário, pelo teor anti-ambiental de seu discurso. É a primeira vez que as palavras de uma pessoa embasam o movimento do relógio. Ele agora se encontra marcando 23:57:30, a hora mais perto da meia-noite desde 1953, quando os Estados Unidos e a União Soviética realizaram testes termonucleares em datas próximas

Segundo o jornal britânico The Independent, em Dezembro de 2016, os cientistas do Bulletin declararam que as tensões entre Rússia e Estados Unidos hoje permanecem semelhantes às da época de Guerra Fria. Além disso, o perigo inerente às mudanças climáticas e uma proliferação de material nuclear, incluindo testes recentes com esse tipo de armamento pela Coréia do Norte. Essa também é a primeira vez que o grupo de cientistas, que inclui 15 ganhadores do Prêmio Nobel, colocam o relógio para marcar segundos.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)