Todas as 451 capas e curiosidades sobre a Playboy antes do “fim” da revista no Brasil

Dezembro será o último mês da Revista Playboy no Brasil. A decisão da Editora Abril põe fim a uma história que teve início há quase 40 anos. Ícones de popularidade no Brasil e símbolos sexuais estamparam as páginas tanto quanto reportagens e entrevistas que fizeram a fama da publicação. Abaixo, você pode navegar por todas as capas da publicação:

Photo mosaic by: curiosamente @ Mosaically

Top 5 – Mais vendidas

Entre as curiosidades da revista estão o fato de que a entrevista especial, de capa, mais recorrente – e repetições eram raras – foi com o ator José Wilker, já falecido. Ele apareceu em três edições da revista entre 1978 e 2015. Mais hors concours que ele apenas o fotógrafo J. R. Duran, responsável por um total de 89 ensaios para a publicação – para se ter uma ideia, é o mesmo que dizer que de cada 5 revistas publicadas na história da Playboy, uma foi de autoria do profissional. Mais além, foram deles as fotos estampadas nas cinco edições que mais venderam na história da publicação no Brasil.
Um capítulo à parte na história da Playboy no Brasil se chama Luma de Oliveira. Ela estampou um total de cinco capas para a revista ao longo desses 40 anos.

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

A incrível Luma – De setembro de 1987 a janeiro de 2005

A edição de número um do da revista no país, na verdade seria a de número 36. Acontece que, por conta da censura, ela antes se chamava “Homem”. Assim, a primeira Playboy estampou a atriz Debra Jo Fondren, em julho de 1978.

edições entre 1978 e 2015

ensaios por J. R. Duran

capas fez a recordista, Luma de Oliveira

milhão de exemplares foi a edição que mais vendeu, com a Feiticeira

O retorno

Apesar de ter a sua publicação encerrada pela Editora Abril, a Playboy retorna ao mercado em abril de 2016 por meio da PBB Entertainment. A primeira capa da “nova Playboy” é a atriz Luana Piovani. Na nova versão da revista, as modelos não ganharão cachê, por conta da visão da nova editora que aponta que “a nudez não deve ser comprada”. Nos ensaios, as mulheres decidirão o quanto do corpo vão querer expor nas páginas da revista, sem necessidade de nudez explícita.

Christian Gaul/Divulgação
Christian Gaul/Divulgação

Comentário(s)

Comentário(s)