Casal alegava estuprar filha de 12 anos para “prepará-la para vida adulta”

Volgograd Police Department / Divulgação

Um casal de russos está sendo acusado de pedofilia por mantar relações sexuais forçadas com a própria filha durante quatro meses. De dezembro de 2016 a março de 2017 a criança de apenas 12 anos foi mantida como escrava sexual por eles. Aos 35 anos de idade, os dois estão aguardando julgamento em custódia e se condenados, podem enfrentar 20 anos de prisão. O caso aconteceu na cidade de Volgograd, na Rússia.

A história teve início quando o pai começou a manter relações sexuais abusivas com a criança, algumas vezes com a mãe na mesma cama. Já a mulher, está sendo acusada de torturar a menina com um pênis de borracha. De acordo com o jornal britânico Metro, a mãe contou à polícia que havia sido estuprada aos 13 anos de idade e que ela e o marido decidiram treinar a garota para a vida adulta, já que acreditavam que era melhor que a criança perdesse a virgindade com seu próprio pai, do que aprender os detalhes da vida sexual de outras maneiras. “Melhor nós que algum maníaco”, disse a mãe ao interrogadores.

O caso só foi descoberto após um médico detectar problemas com o período das menstruações da criança, quando descobriu que a menina não era mais virgem. A criança contou aos investigadores sobre os abusos e os pais assumiram o crime em seguida. A mãe confessou que a criança foi concebida para participar das ações sexuais do casal. De acordo com a polícia local, os avós moravam no mesmo apartamento mas não sabiam do abuso. Ainda em aguardo pelo julgamento, os pais foram despojados dos direitos de paternidade, o que significa que eles não serão capazes que criar a menina.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)