Antártica está ficando verde por culpa do aquecimento global

 Matt Amesbury / Divulgação

Quando se fala na Antártida, quem está acostumado a pensar em um continente totalmente branco e coberto por gelo, pode ir se acostumando com algo diferente. Devido ao aquecimento global, que resulta no derretimento das geleiras, plantas estão crescendo e tomando o lugar que o gelo ocupava. Um artigo publicado no site Current Biology, mostra a mudança nesses 640 km de extensão, onde o solo já está coberto por plantas.

“As elevações de temperatura durante cerca de meio século na Península Antártica tiveram um efeito dramático sobre os bancos de musgos que crescem na região. Se isso continuar, e com o aumento das áreas sem gelo, a Península Antártica será um local muito mais verde no futuro”, explica o coautor do estudo, Matt Amesbury, da Universidade de Exeter, ao The Guardian.

 Matt Amesbury / Divulgação

Cinco amostras de musgo, que foram retiradas do solo, revelaram provas do que os estudiosos chamam de “pontos de mudança”, os quais mostram que a atividade biológica aumentou claramente. Há 50 anos atrás, a Antártica possuía apenas 0,3% de sua área coberta por plantas. Essas amostras incluem as três ilhas principais da Antártida: Ilha Elefante, Ilha Ardley e Ilha Verde. Tais regiões estão esquentando mais rápido do que o restante da Terra. Devido ao aquecimento global, as temperaturas anuais sobem 0,5º C a cada década, desde 1950.

“O sensível crescimento do musgo relacionado ao aumento da temperatura no passado sugere que os ecossistemas irão se alterar rapidamente com o aquecimento no futuro, levando a mudanças na biologia e na paisagem desta região icônica. Em suma, poderíamos ver Antártida “esverdear” paralelamente com as observações bem estabelecidas no Ártico”, explica o pesquisador Dan Charman, professor da Exeter.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)