Panda mais velha do mundo morre aos 37 anos

China Xinhua News / Facebook

O Panda Gigante mais velho do mundo morreu aos 37 anos, idade equivalente a mais de 100 anos humanos. Basi, Uma fêmea que morava no Centro de Pesquisas e Intercâmbios sobre os Pandas Gigantes de Fuzhou, na província de Fujian, na China, nasceu na natureza, mas foi resgatada por um zoológico local após cair em um rio no vale de Basi (nome que posteriormente a batizou), sofrendo graves ferimentos. Ela chegou a morar no zoológico de San Diego, na Califórnia, por alguns meses, mas passou boa parte da vida na província chinesa, onde era tratada como estrela, ganhando grandes bolos de aniversário sempre que conquistava mais um ano de vida.

A causa da morte não foi divulgada, mas no mês de janeiro de 2017, quando Basi fez aniversário, o cuidador do animal, Mr. Chen, afirmou que ela sofria de uma série de doenças do coração e pressão alta, dormindo 80% do dia. Ainda assim, eles esperavam que ela continuasse viva por mais três a cinco anos. “Com muito pesar anunciamos que hoje o panda gigante Basi morreu, aos 37 anos”, afirmou o porta voz do Centro em comunicado oficial à imprensa local. Segundo o jornal britânico BBC, ela foi parte tão importante da história do país que inspirou o mascote dos primeiros jogos Asiáticos, em 1990.

A notícia comoveu moradores da região, que compareceram ao funeral de Basi e o acompanharam ao vivo por emissoras de TV. Basi tinha conquistado o título de panda gigante mais velha do mundo em outubro de 2016, quando Jia Jia, outra fêmea da mesma espécie, morreu aos 38 anos. Ela também morava em um parque chinês e passou por um processo de eutanásia após sofrer sequelas irreversíveis de um câncer.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)