Chuvas fortes seguem ao Sertão, onde choveu até 6x acima da média

Chuvas em Petrolina. Registro de Magna S. B. Moura/Reprodução

O Vórtice Ciclônico de Altos Níveis, que causou um temporal na Região Metropolitana do Recife, com direito a raios, e provocou chuva de granizo em diversas cidades do Agreste e Sertão pernambucano, se desloca com força no sentido leste-oeste, depois de deixar o Oceano Atlântico. Segundo a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), isso deve significar chuvas fortes ao longo do sábado, 30 de janeiro de 2016, em cidades sertanejas. Próximo ao final de um mês atípico, o Sertão foi a região mais atingida por fortes chuvas, registrando altas históricas, com precipitações muito acima da média.

Pernambucanos registram chuva de granizo em pelo menos 5 cidades do interior
Moradores fazem registros impressionantes de raios em todo o Grande Recife

Em Tacaratu, até o dia 28 de janeiro, foram 268mm de chuvas, índice seis vezes superior à média histórica para o mês, que é de 44,4mm. Já em Afrânio, foi registrada a maior precipitação no mês em todo o estado: 401mm – 463% superior à média de 86,6mm para janeiro. Municípios como Belém de São Francisco e Manari também registraram quase cinco vezes mais chuvas em relação ao período histórico. Na região como um todo, apenas quatro cidades sertanejas tiveram chuvas abaixo da média mensal histórica: Floresta, Iguaraci, Ipubi e Serrita – o que pode mudar nos boletins relativos aos últimos três dias do mês.

O período chuvoso do Sertão é justamente entre janeiro e abril. No entanto, as previsões para o primeiro quadrimestre de 2016 eram bem desanimadoras – segundo a Apac, em documento emitido em 2015, a expectativa era de um ano ainda pior que 2015, quando a estiagem excedeu os 300 dias em alguns municípios e foi ampliado o prazo da pior seca em mais de 40 anos. A situação é semelhante em outras áreas do Sertão do Nordeste – na Bahia e no Piauí, pelo menos dez cidades mudaram o estado de emergência pela seca pelo status de emergência por conta das chuvas.

De acordo com o meteorologista da Apac Roberto Pereira, o fenômeno que causou chuvas se aproxima do Sertão de Pernambuco, o que pode significar fortes precipitações. A probabilidade de granizo, no entanto, foi minimizada, uma vez que a formação vertical necessária para que se formem as pedras de gelo começou a se dissipar.

Jacqueline Rodrigues/Caminhos do São Francisco/Reprodução

De uma forma ou de outra, o cenário do Sertão começa a mudar. As chuvas trouxeram comemorações por parte da população. Jacqueline Rodrigues, por exemplo, fez um registro impressionante de um cenário no Sertão do São Francisco, contrapondo as realidades verificadas nos dias 18 de dezembro de 2015 e 18 de janeiro de 2016 e o contraste impressiona. A imagem foi divulgada pelo grupo Caminhos do São Francisco, no Facebook.

 

Confira o boletim completo da Apac para todo o estado, de 29 de janeiro de 2016:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)