Casal é suspeito de matar o próprio filho de fome

Catherine Davies / Arquivo Pessoal

Um casal britânico é suspeito de ter matado o próprio filho de fome apenas quatro dias depois dele nascer, enterrando o corpo da criança dentro de uma caixa de sapato em um cemitério de Manchester. A principal suspeita dos legistas é de que o bebê tenha morrido por desidratação, causa difícil de ser detectada quando o corpo está em avançado estado de decomposição. “Ele tinha muito pouca gordura subcutânea”, afirmou em entrevista ao jornal britânico Daily Mail o médico Simon Mitchell. Segundo ele, um bebê recém-nascido só consegue viver entre três e quatro dias sem alimentação adequada.

Catherine Davis e Anthony Clark, de 25 e 35 anos, já tinham perdido a guarda do primeiro filho por priorizarem as próprias necessidades acima de comprar roupas ou alimentos para ele. A polícia instaurou inquérito contra os dois depois que o cuidador da mãe de Catherine afirmou que ela ligou pedindo dinheiro à mãe e contando que teve mais um filho. Questionada pela polícia, porém, a mulher disse que era mentira e culpou a demência da idosa pela história. Os policiais, então, fizeram uma passagem de porta em porta e descobriram que a criança tinha nascido.

Confrontada, a dupla afirmou que o menino morreu durante o sono e foi enterrado em um cemitério local durante a madrugada. Eles alegaram ter desistido de alimentar a criança após não conseguirem. Um diário foi encontrado entre os pertences de Catherine. Nele, a mulher classificava o menino como uma “monstruosidade” que a deixava “gorda demais”. Em depoimentos posteriores, a mulher mudou de depoimento, afirmando que o garoto nasceu com “defeitos estranhos” e um “círculo debaixo da caixa torácica”. O julgamento continua.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)