UFPE busca gestantes para pesquisa de prevenção ao parto prematuro

Ricardo Fernandes/DP

Mulheres grávidas há até 19 semanas podem participar, como voluntárias, da nova pesquisa do Hospital das Clínicas, da Universidade Federal de Pernambuco. A iniciativa planeja identificar marcadores do metabolismo que sejam capazes de prever a necessidade de um parto prematuro. Para isso, serão coletadas amostras de sangue e cabelo, durante a pesquisa, de forma a possibilitar o mapeamento, possibilitando a identificação da idade gestacional na qual o bebe nasceu e, assim, conferir os marcadores que foram alterados.

As interessadas podem buscar a universidade, às segundas e quintas-feiras, no Ambulatório de Prevenção do Parto Prematuro, no segundo andar do Hospital das Clínicas. O horário de atendimento e inscrição é das 13h às 15, com a obstetra coordenadora da pesquisa em Pernambuco, Débora Leite. A médica afirma que a importância da pesquisa é justamente identificar os marcadores para prevenir a prematuridade. “Em relação à primeira gravidez, a Medicina ainda não tem marcadores confiáveis que indicam quando um parto prematuro irá ocorrer. Será feita uma triagem para identificar quais mães indicam sinais comuns à prematuridade. Se a gestante se enquadrar nos critérios da pesquisa, será acolhida e assistida durante toda a gravidez no Ambulatório de Prevenção do Parto Prematuro”, explica.

O estudo Utilização metabolômica para identificação e vaidação de biomarcadores para parto pré-termo está sendo realizado com outras quatro universidades, de São Paulo, Ceará e Rio Grande do Sul, e tem apoio da Universidade de Auckland, na Nova Zelândia e da Fundação Bill e Melinda Gates.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)