TV em excesso diminui fertilidade de homens, diz estudo

Failed Imitator/Flickr

Cinco horas diárias de televisão pode significar uma perda de até um terço na quantidade de espermatozoides saudáveis e dificultar a fertilização. É o que diz o novo estudo da Universidade de Copenhague, com um total de 1,2 mil homens jovens.

Os resultados foram publicados no American Journal of Epidemiology e revelam que, entre os homens que assistem muitas horas de TV em sequência, a contagem de espermatozoides se mantinha numa média de 37 milhões por mililitro, enquanto os que quase nunca mantinham a prática tinham uma contagem de 52 milhões. Além disso, o estudo ainda indica que a prática leva à diminuição da testosterona, hormônio que estimula a produção do esperma.

A relação, no entanto, não foi comprovada com relação a quem utiliza o computador com a mesma frequência. Isso porque, segundo os cientistas, a prostração em frente à TV está relacionada a pessoas com menos propensão ao exercício físico, o que nem sempre é verdade com os usuários de computadores.

De acordo com o jornal britânico Daily Mail, o estudo ratifica outros anteriores que seguem na mesma linha, indicando que um estilo de vida sedentário representa cerca de 30% menos espermatozoides por mililitro e ainda aponta uma preocupante conta em que, para cada duas horas a mais prostrado em frente à TV, o risco de uma embolia pulmonar que leve à morte cresceria em 40%.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)