O passo a passo de “A Luta do Século”

O fotógrafo pernambucano Paulo Paiva revela a construção do derradeiro embate entre o pernambucano Luciano Todo Duro e o baiano Reginaldo Holyfield, realizado em 2015, 22 anos após a primeira disputa da dupla de boxeadores mais marrenta do Nordeste brasileiro.

Em preto e branco, o ensaio “A Luta do Século” acompanha o evento homônimo quase num formato quadrinesco, cuja linha narrativa dispensa diálogos ou legendas.

Desde a apresentação dos dois lutadores ao público e ao ringue até a coletiva de imprensa prestada logo após o resultado, cada fotografia compõe o grande quadro da megalomaníaca disputa, mais pernambucana impossível.

A cada clique, o profissional capta a tensão dos lutadores e os pontos marcados em cada um dos seis rounds disputados, com direito a protetores bucais voando e bochechas denunciando o impacto de cada soco.

Confira  a narrativa da disputa e o ensaio completo abaixo.

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Se foram nada menos que 11 anos desde o último embate – um empate encravado na garganta e no histórico de dois lutadores nascidos para os holofotes midiáticos. Os punhos já não aplicavam os mesmos golpes, os desvios e saltos não responderiam ao tempo perfeito que uma vez os acompanhou – os 50 anos quase completos dos dois atores impedia espetáculo à altura de suas marras e ambições. Pouco importava. O público de 5 mil pessoas gritavam seus nomes a plenos pulmões no Clube Português, numa noite de agosto, o mais odiado dos meses. Gritos, agitação e flashes. Muitos flashes. Para tantos, entraria em cena o bizarro ou o lúdico, mas a adrenalina de ambos os corpos denunciavam que havia tanto mais em jogo. Pés no ringue:

É 1993 novamente!

Foi num Geraldão distante de tanta fama ou riso que se enfrentaram pela primeira vez. Junho de 1993. O então 0 a 0 ainda somariam três vitórias para cada lado – a mesma quantidade de rounds ao qual esta noite seria arrastada. Onze anos depois do último soco, a disputa Pernambuco contra Bahia tomou vezes de desfecho, de conclusão. Alguns diriam “ato final”. A rivalidade ampliada diante das câmaras agora dá as caras. Uma, duas, três vezes até voarem os protetores bucais e equilíbrios serem afetados. Longos momentos, longos embates – golpes atirados e, sem a precisão de outrora, explodiam na cara do ar. Vez por outra, murros certeiros, embates de corpo inteiro…

Soa o alarme.

Pontos para um lado. Pontos para outro. Um braço é levantado.
Um quase amaciado Todo Duro sorri para as câmeras. Acena para a multidão. Ouve seu nome mais uma vez. O ouvido grita ao cérebro que tem 20 e tantos anos novamente e a vida é feita de recompensas. As luzes se apagam.

O século continua…

Paulo Paiva

Paulo Paiva

Fotógrafo

Paulo é fotógrafo por paixão, do tipo que nas férias vai cobrir uma luta que não se repetirá em um século. Encontra descanso nas imagens dos olhos, como quem busca o momento perfeito.

Ed Wanderley

Ed Wanderley

Cronista

Ed é repórter multimídia do Diario desde 2010. Entende nada de boxe e nunca se envolveu numa briga com socos – conta pontos em golpes aplicados a cada murro de canetas…

Comentário(s)

Comentário(s)