Fotógrafo acumula 4 anos de lixo para conscientizar pessoas com ensaio

Antoine Repesse / Divulgação

Um fotógrafo francês acumulou o lixo reciclável produzido em sua casa durante quatro anos. Apesar de se tratar de uma grande quantidade de resíduos, o propósito foi produzir um ensaio que conscientizasse as pessoas sobre a produção desses materiais e a importância de reciclá-los. Antoine Repesse mostra como seria o dia a dia das pessoas com 4 anos de lixo acumulado. No total, ele foram 70 metros cúbicos de resíduos: 4,8 mil rolos de papel higiênico, 1,6 mil caixas de leite e 800 kg de jornais. Ele conta que o #365 Unpacked, como nomeou a série de fotos produzidas, confronta as pessoas com a realidade que elas costumam evitar. “Quero encorajá-las a mudar seus hábitos de consumo. A escolha de separar o lixo dá um efeito gráfico. Tentei produzir a foto perfeita que evocasse algo perturbador. Normalmente falam para a gente sobre a quantidade de lixo que produzimos, mas acredito que o impacto de uma foto é mais poderoso do que mil palavras”, contou à BBC.

Antoine Repesse / Divulgação

Segundo o professor de engenharia civil da UFPE, Mariano Aragão, essa produção de lixo se dá devido à falta de educação ecológica e ambiental da população e também da falta de cooperação da própria indústria. “Cada dia mais a indústria lança novos produtos em novas embalagens, descartáveis. É muito mais barato e prático para as grandes empresas produzirem assim e depois reciclarem para cortar ainda mais os custos. Porém, essa reciclagem não é feita de forma adequada, seja na Europa ou aqui mesmo no Recife. As empresas reciclam pelo corte de gastos, não pelo meio ambiente”, explica.

Sem a coleta seletiva e a reciclagem feitas de maneira correta, a produção de lixo só tende a aumentar, gerando Os bilhões perdidos no lixo, título de um livro do professor da USP, Sabetai Calderoni, que fala justamente sobre o dinheiro gasto com o sistema falho de reciclagem.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)