Obrigada a casar com seu estuprador aos 11 anos, mulher luta contra casamento infantil

Casa Comida e Roupa Espalhada / Facebook

Aos dez anos de idade ela foi estuprada por quatro vezes por um membro da sua igreja. Aos 11, grávida do homem de 20 anos, foi obrigada pela família a se casar com ele. A norte-americana Sherry Johnson contou recentemente sua chocante história de vida. A família e os membros da igreja forçaram o casamento para evitar uma investigação policial em torno do grupo. O caso aconteceu no estado da Flórida, nos Estados Unidos.

Autoridades locais de assistência à infância chegaram a abrir uma investigação. Porém, a família preferiu ficar ao lado do estuprador da própria filha. “Eles me forçaram. Minha mãe me perguntou se eu queria me casar, e eu disse: ‘Eu não sei, o que é casamento, como agirei como esposa?’ e então ela disse: ‘Bem, acho que você vai se casar'”, contou Sherry ao jornal norte-americano New York Times.

Como um funcionário do governo em Tampa, na Flórida, se recusou a casar a criança de 11 anos com seu estuprador, embora isso fosse permitido legalmente no estado, a cerimônia de casamento teve que ser transferida para o condado de Pinellas, onde um funcionário emitiu a licença de casamento. Como esperado, o casamento não durou e só serviu para atrapalhar a vida de Sherry, que se prejudicou na nos estudos devido ao cuidado com os filhos, que são nove, ao total. “Foi uma vida terrível”, relembra a mulher.

Hoje, ela criou uma campanha de lei estadual na Flórida para acabar com matrimônios envolvendo menores de idade que faz parte de um movimento nacional. Porém, enquanto a lei não é aprovada, crianças menos de 16 anos ainda estão sendo casadas legalmente na Flórida, e em outros 26 estados dos Estados Unidos. Ao redor do mundo, uma menina com menos de 15 anos se casa a cada sete segundos.

A reportagem do New York Times não informou o ano em que Sherry teve que se casar nem a sua idade atual.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)