Náufrago por 15 meses, homem é acusado de comer colega e sofre processo de R$ 3,5 milhões

Depois de sobreviver 15 meses à deriva no Oceano Pacífico, um pescador está sendo processado em U$$ 1 milhão, acusado de ter se alimentado do corpo de um colega de profissão. Quem está movimentando o processo é a família da vítima.

O el salvadorenho Salvador Alvarenga, 36, é o único homem conhecido a sobreviver por mais de um ano à deriva. Alvarenga pagou U$$ 50 ao homem que supostamente comeu, Ezequiel Córdoba, 22, e os dois saíram para pescar por dois dias na costa mexicana. Depois que uma tempestade afundou o navio dos dois, eles sobreviveram comendo peixes e pássaros e bebendo sangue de tartaruga e urina.

Jose Alvarenga indo para o México depois de ser achado numa ilha do Pacífico. Créditos: Reprodução/Facebook.
Barco utilizado por Alvarenga. Créditos: Facebook.

De acordo com o acusado, não houve canibalismo. Cordoba morreu depois de fazê-lo prometer que não comeria seu corpo. Para ter companhia, ele manteve o corpo no barco durante seis dias, até que percebeu ter perdido noção da realidade e jogou o corpo no mar. Alvarenga foi encontrado nas Ilhas Marshall, a 9 mil quilômetros de distância. Segundo ele, o processo está sendo movido porque a família de Cordoba quer parte do dinheiro que ele está recebendo com o livro que lançou contando toda a história do naufrágio.

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)