Kim Jong-un estaria vendendo cidadãos norte-coreanos para trabalho escravo na Europa

Zennie Abraham/Flickr

O Chefe do escritório da Organização das Noções Unidas na Coreia do Sul, Signe Poulsen, afirmou que milhares de cidadãos da Coreia do Norte estão sendo “vendidos” para empresas da Europa.

Ainda de acordo com ele, conforme relata o tabloide britânico The Sun, cerca de 80% do dinheiro recebido pelos trabalhadores é repassado para o governo do ditador Kim Jung-un. A contribuição é chamada de “doação voluntária”, apesar da falta de liberdade dos cidadãos em decidir.

A ONU acredita que esse dinheiro está sendo utilizado no desenvolvimento de novas armas nucleares. “Os salários são inadequados, existem restrições sobre o que eles podem fazer e as restrições que ocorrem na Coreia do Norte acabam mantidas em muitos casos”, apontou Poulsen.

Um projeto de monitoramento de trabalho escravo desenvolvido pela Universidade de Leiden, na Holanda, mostra que os trabalhadores da Coreia do Norte levados à Europa trabalham atém 16 horas por dia e ganham muito menos que o salário mínimo. E ainda tem descontado 80% da “doação voluntária” para o país natal. A estimativa é de que 50 mil cidadãos da Coreia do Norte estejam trabalhando fora do país, doando um valor aproximado de dois bilhões de dólares para o governo de Kim Jong-un (equivalente a cerca de R$ 7,5 bilhões de reais).

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)