Juiz do DF divulga sentença em forma de poesia

Um juiz do Distrito Federal se inspirou e divulgou em versos com rimas a sentença que inocentava a criadora de uma arara canindé. A mulher, Eleisabete Ramos dos Santos, era acusada pelo Ibama por ter o porte da ave selvagem, herdada da família. Na ação, o Instituto cobrava à mulher multa de R$ 5 mil.

A surpresa, porém veio no julgamento do caso. A justiça entendeu que a acusada mantinha o animal solto e com bons cuidados, sendo inocentada da acusação. O magistrado Waldemar Cláudio de Carvalho, que proferiu o resultado em algum possível momento de inspiração, absolveu a mulher por meio de uma poesia de 5 páginas.

“Não se trata, no caso, de crime insignificante./
Menos ainda de redução proporcional da multa aplicada,/
mas de afastar a própria ilicitude,/
porquanto inexiste dolo ou negligência na conduta analisada.”

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)