Jardins suspensos vão filtrar toneladas de poluição no México

Miguel Angel Mancera / Facebook

Como um projeto para reduzir as ilhas de calor da capital mexicana, a Cidade do México começou a instalação de jardins verticais em mais de mil colunas que erguem o Anel Periférico, um elevado com mais de 30 km. A princípio, 19 colunas foram preenchidas com os jardins e o projeto deve ser concluído em 2017 e filtrar 27 mil toneladas de gases nocivos e processando mais de 10 toneladas de metais pesados. Com o investimento de 360 milhões de pesos mexicanos (cerca de R$ 64 milhões) de investimento privado, 10% do espaço será destinado à publicidade dos patrocinadores.

Miguel Angel Mancera / Facebook

Apesar de ser da inciativa privada, a Prefeitura da Cidade do México encarrega-se de dar autorizações para liberar o espaço e fazer a logística das obras sem afetar o dia a dia da capital. As plantas que formarão o jardim serão previamente selecionadas de acordo com uma série de critérios, como baixo custo de manutenção e alta resistência a pragas. Um sistema misto que combina a água da chuva com água tratada será responsável pela regagem das plantas. “Essa proposta soava como algo que faria bem à cidade, mudando tanto o cenário quanto dando um benefício com o qual todos estamos comprometidos hoje, que é a luta contra as mudanças climáticas”, afirmou o chefe de governo Miguel Ángel Mancera em entrevista ao jornal mexicano La Prensa.

O chefe de governo da cidade também expôs as imagens do projeto inovador nas suas redes sociais, nos comentários, porém, muitos moradores questionaram a “megalomania” e os prazos do projeto. “Jardins meio-prontos, com mudas nem plantadas ainda. Por que sempre fazem isso, entregando as obras sem nem tê-las terminado?”, disse um internauta em comentário. “hahaha, facilmente vão levar essas plantas hoje de noite”, diz outra internauta.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)