Exceção que deveria ser regra: a faixa de pedestres de Casa Forte

por

Trecho entre o Plaza Casa Forte e o Hiper Bompreço possui faixa de pedestre que é devidamente respeitada, mesmo sem presença de semáforo. Exemplo que deveria ser universal

 

Uma faixa de pedestre localizada entre um shopping e um supermercado na Zona Norte do Recife é um raro exemplo de civilidade no trânsito: sem possuir nenhum tipo de sinalização ou guardas de trânsito, os motoristas param ao sinal de pedestres querendo atravessar. A realidade na Rua Leonardo Bezerra Cavalcante, no bairro de Casa Forte, é uma exceção, mas deveria ser regra – o Código Brasileiro de Trânsito põe o pedestre como prioridade na hierarquia da mobilidade. Mas quem anda a pé no Recife sabe que a pressa de muitos motoristas “impede” que eles aguardem a travessia do pedestre na faixa destinada a ele quando o sinal fica verde para os veículos.

Faixa de pedestres. Nando Chiappetta/DP

As pessoas que circulam pelo local já se acostumaram com o respeito dos motoristas. Algumas acreditam que os condutores que costumam avançar não conhecem o local. Para o aposentado Antônio Alves, 58 anos, é o único lugar que os motoristas respeitam os transeuntes. “A gente coloca o pé na faixa e o carro para, quem mora na região respeita. Deveria ser assim em qualquer lugar do Recife”, comenta.

Todos os pedestres concordam que é dever do motorista parar ao perceber que existe alguém querendo atravessar numa faixa que não possui sinalização, como está escrito no Art.70 do Código de Trânsito Brasileiro: “Os pedestres que estiverem atravessando a via sobre as faixas delimitadas para esse fim terão prioridade de passagem, exceto nos locais com sinalização semafórica, onde deverão ser respeitadas as disposições deste Código”.

Mas há quem acredite que essa atitude deve ser incentivada com um agradecimento, como comenta o autônomo Geisler Alencar, 67 anos, “Todo mundo sabe que o motorista é obrigado a parar, mas o pedestre que agradece incentiva cada vez mais quem para a continuar parando. E o motorista se sente satisfeito”, diz.

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Faixa de pedestres. Nando Chiappetta/DP

A intenção dos motoristas que param nessa faixa é dar preferência ao pedestre. Fernando Luiz, 60 anos, diz que se acostumou a parar quando vê um pedestre no local. “Mesmo não tendo sinal nem nada, to sempre parando quando passo aqui”, afirma. Mariana Lima, 31 anos, compartilha do mesmo pensamento. “Sempre que passo aqui, eu paro”, declara.

Nem tudo são flores

Mesmo com depoimentos de pedestres e motoristas, nem todos os pedestres se dizem satisfeitos com a forma de travessia no local. É o caso da costureira Laís da Silva, 52 anos, e sua neta Ellen, 7 anos, que esperaram cerca de 30 segundos para que o primeiro carro parasse e motivasse os outros veículos a fazerem o mesmo. “Era melhor que tivesse sinal porque nem sempre eles respeitam”, reclama.

Faixa de pedestres. Karina Morais/DP

Há também quem reclame da falta de acessibilidade em torno da faixa de pedestre. O consultor Jorge Freire, 56 anos, diz que a faixa não garante a travessia de pessoas com deficiências. Segundo ele, por só existir uma rampa em uma das calçadas, os cadeirantes acabam prejudicados, assim como a falta de sinalização sonora dificulta quem precisa saber que os carros pararam, como é o caso dos cegos. Além disso, ele acredita que os condutores respeitam por causa dos bairros que estão em volta. “A faixa fica entre um shopping e um supermercado e abrange bairros de classe média, onde a faixa é considerada algo politicamente correto”, explica.

Apesar de se ver na maior parte do tempo motoristas parando os carros antes da faixa, há quem não desacelere o carro enquanto pedestres ainda atravessam. Durante a realização da reportagem, uma mulher relatou que quase foi atropelada, na semana anterior. Segundo ela, um carro havia avançado enquanto ela atravessava. De acordo com o Art. 214 do Código de  Trânsito Brasileiro,  não dar preferência aos pedestres que estejam na faixa ou que não tenham concluído a travessia mesmo que o sinal fique verde para os veículos é considerado infração gravíssima e o condutor pode ser penalizado com multa.

A assessoria da Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) informou que não possui dados relacionados ao tráfego no local, uma vez que não existe fiscalização eletrônica na área. Quanto à sinalização sonora (voltada para a travessia de cegos), afirmam não haver planos para inseri-la, nem solicitações por parte dos pedestres.

 

Daniele Alves

Daniele Alves

Repórter

Daniele é estagiária do Diario desde dezembro de 2015. Estuda jornalismo na Aeso – Faculdades Integradas Barros Melo. Anda de ônibus e sabe o sufoco que pode ser a convivência entre pedestres e motoristas.

Nando Chiappetta

Nando Chiappetta

Fotógrafo

Nando é o fotógrafo ítalo-brasileiro do Diario. É o que se joga nas pautas e para os carros para conseguir um depoimento certeiro.

Karina Morais

Karina Morais

Fotógrafa

Karina é estagiária do Diario de Pernambuco e integra a equipe de fotografia do jornal.

Comentário(s)

Comentário(s)