Agrônomo desaparece após deixar sinais em plantação

Divino José/Arquivo Pessoal

Há um mês, o engenheiro agrônomo Éder Tadeu Maciel da Costa, de 29 anos, se mudou para Água Boa, a 736 km de Cuiabá, capital do Mato Grosso. E desde a última sexta-feira (05/05), ele se encontra desaparecido. A polícia não tem pista alguma. Mas intrigam os únicos vestígios deixados por ele antes de sumir: extensos sinais deixados em uma plantação de milheto, feitos com sua caminhote, abandonada no local.

A última vez em que Éder foi visto, ele estava pedindo carona em uma rodovia, mas até agora, não se saber se alguém o levou – muito menos para onde, conforme afirmou ao G1 a delegada Luciana Canaverde, responsável pelo caso.

Arquivo Pessoal

Sabe-se também que ele teria ingerido uma grande quantidade de álcool; ele foi visto comprando bebidas em um posto de gasolina (aparentando já estar alcoolizado) e depois na rodoviária da cidade. Éder não tem histórico de alcoolismo e nem de episódios de violência, seja contra indivíduos ou contra o patrimônio.

Seu último contato com a família foi feito no dia anterior ao seu desaparecimento. Sua esposa, Letícia Mendes, que mora em Nova Mutum (a 269 km da capital) afirmou que conversou com Éder por telefone e ele informou que faria um atendimento no município de Caranana. Depois disso, ele deixou de atender ao celular.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)