Eduardo Cunha ganha marchinha de frevo sobre “Continha na Suíça”

O ator Walmir Chagas, interprete do personagem “Véio Mangaba” gravou um frevo em “homenagem” ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha. Intitulada “Continha na Suíça”, em alusão aos extratos bancários encontrados pelo Ministério Público da Suíça com saldos superiores a 5 milhões de dólares (aproximadamente R$ 20 milhões em valores atuais) nas contas do deputado do PMDB, a música conta um pouco da “delícia” de ser um “magnata”. A música é de autoria do compositor pernambucano Severino Luiz de Araújo.

 Ricardo Fernandes/DP

Até mesmo a justificativa de Cunha, dada em novembro de 2015, de que parte do dinheiro vinha da venda de carne enlatada foi ironizada na canção. “Esse dinheiro é meu, mas foi com o maior sacrifício. Tudo isso é carne moída!”, comenta durante a música.

Outros escândalos de corrupção também são citados, como se fosse Eduardo Cunha que estivesse falando. “Oxe, e sou só eu, é? E a Petrobras? E o metrozinho de São Paulo?”, diz o Véio Mangaba em referência ao chamado Petrolão e sobre a investigação de cartel no metrô de São Paulo.

Confira a letra na íntegra:

Eu também tenho uma continha na Suíça
Ai que delícia!
Ai que preguiça!
Ver minha cara todo dia no jornal
Já sei que sou
Um herói nacional.

Eu também tenho uma continha na Suíça
Ai que delícia!
Ai que preguiça!
Ver minha cara todo dia no jornal
Já sei que sou
Um herói nacional.

Depois é somente correr pro abraço
Meu irmão, esse dólar é mesmo um cracaço
Iate de luxo, é ouro, é prata
Trabalhei muito para ser um magnata

Depois é somente correr pro abraço
Meu irmão, esse dólar é mesmo um cracaço
Iate de luxo, é ouro, é prata
Trabalhei
muito para ser um magnata.

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)