Deficiente visual, menino de 8 anos aprende a andar de bicicleta sozinho

Márcia Espindola Fermiano/Arquivo Pessoal

Eduardo Fermiano é um menino de 8 anos, morador de Joinville, no estado de Santa Catarina. Ele é deficiente visual desde o nascimento, mas sua família não deixa que isso o impeça de ter as mais diversas experiências próprias da infância – como aprender a andar de bicicleta. Aos 6 anos, ele começou a pedalar em uma bicicleta dupla, acompanhado de um guia voluntário, no projeto Roda Guia, promovido pela Associação Joinvilense para Integração dos Deficientes Visuais (Abraji). Agora, após dois anos e uma série de treinamentos, ele começou a pedalar sozinho.

Eduardo e sua mãe, Márcia Espíndola Fermiano, conheceram o voluntário Xico – ou melhor, Francisco Hoff de Moraes, de 71 anos, muitos deles pedalando. Ele é o guia de Eduardo desde que o menino começou a frequentar o Roda Guia. Depois de um tempo, Xico começou a incentivar Eduardo para que ele pedalasse por conta própria. O voluntário contou ao G1 que a ideia veio quando conheceu um professor de informática, também cego desde o nascimento, que havia sido ensinado pelo pai a andar de bicicleta. Ele então desenvolveu a metodologia que aplicou com Eduardo.

Em janeiro desde ano, Xico e Márcia começaram o treinamento para que Eduardo pudesse pedalar sozinho. Em locais amplos, abertos e sem movimento, preferencialmente gramados, primeiramente fizeram com que ele andasse utilizando apoios, sem pedalar; depois, pedalando com as rodinhas laterais; e por fim, sem as rodinhas. Para guiá-lo, eles usam a voz. “São comandos bem simples, uso a linguagem do Dudu”, conta Xico. “Ele gritou de euforia, quando pedia o equilíbrio, a gente segurava, e gradativamente ele foi ganhando confiança.”

Dudu, como é chamado pela mãe e pelo companheiro de pedal, não poderia estar mais feliz. “Agora só ando sozinho, me sinto com mais liberdade”, contou. E a força de vontade que demonstra para conseguir mais independência vem acompanhada de uma alegria tipicamente infantil. “Eu não me importo quando erra. Todo mundo erra. A gente erra quando treina e treinar é divertido “, contou ele ao jornal A Notícia.

Confira a evolução de Dudu no vídeo a seguir, divulgado pela Ajidevi em sua página no Facebook.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)