Tato Falamansa pede por sanfona para garoto do Exu

Evandilson Henrique de Araújo interessou-se pela sanfona quando viu o pai, agricultor da zona rural do Exu, tocando o instrumento ao voltar da roça. A necessidade de sustentar a esposa e os quatro filhos, contudo, não deixou ao homem tempo livre para a prática. Ao garoto de 16 anos, restou o triângulo, instrumento mais simples e barato. Músico de um grupo de sua cidade, que está custeando suas aulas de sanfona, Evandilson foi encorajado pelo sonho de ter o próprio instrumento a pedir ajuda. O cantor Tato, do grupo Falamansa, foi o único dos artistas procurados pelo garoto que respondeu a seu apelo. “O garoto merece! Essa cultura precisa ser preservada!”, comentou o artista.

“Já consigo tocar alguma coisa, porque fiz nove meses de aula. Nos shows da banda, além de tocar triângulo, já ajudo com a sanfona”, diz Evandilson. Com o cachê das apresentações, o garoto compra seus pertences. “Para não pedir a minha mãe. Não é todo tempo que meu pai sai para trabalhar. Quando não tem chuva, é mais difícil”, comenta. Com mesma esperança de que a seca não dure, Evandilson aguarda uma sanfona, que vê como uma maneira de ajudar a família. “Não temos casa própria e a gente pode passar alguma dificuldade se não tiver trabalho pro meu pai”, lamenta.

 

Fã do conterrâneo Luiz Gonzaga, que tinha, aliás, o hábito de distribuir sanfonas a novos músicos, Evandilson não escolhe o modelo. “Para mim não importa a qualidade e a marca. O importante é eu praticar para seguir meu sonho”, diz o estudante, que pratica com um instrumento emprestado.

O telefone para contato com Evandilson é: (87) 9-9959-7170

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)