Brasil ganhou quase 11 mil novos milionários em 2016

Joel Santana/Pixabay

No meio da crise econômica, um relatório do Instituto de Pesquisa sobre Riqueza do Banco da Suíça (Global Wealth Report) aponta o Brasil como o oitavo país que mais ganhou novos milionários em 2016, sendo o único representante da América Latina na lista. Divulgado no país europeu, no dia 21 de Novembro de 2016, o estudo baseia-se no valor do dólar e mostra que 172 mil brasileiros possuem uma fortuna acima de US$ 1 milhão, aproximadamente R$ 3,3 milhões – quase 11 mil pessoas a mais que no ano anterior.

 

O Japão, os Estados Unidos e a Alemanha foram os países que mais obtiveram novos milionários de 2015 para 2016, com um acréscimo de 738 mil, 283 mil e 44 mil, respectivamente. Na lista dos dez maiores acréscimos de população milionária, o Brasil ficou na frente da Irlanda e da Espanha, ambos com crescimento de 7 mil novos milionários. “Afligido por crises políticas e econômicas, o Brasil claramente encontra sérias dificuldades. Enquanto a riqueza continua a crescer em unidades monetárias nacionais, esses ganhos têm sido altamente inflacionários”, diz o relatório. O estudo aponta ainda o Brasil como sendo, entre todos os países analisados, o que apresenta a maior desvalorização quando o assunto são imóveis, com uma queda de 6,2% no valor de venda – lista liderada pela Argentina, com uma alta de 31,5%.

 

Além disso, o texto destaca que o país sofre um índice de desigualdade de 83%, com 245 mil adultos dentro do 1% de detentores da riqueza global. O relatório também aponta a desigualdade no padrão educacional e a divisão entre setores formais e informais da economia como causas dessa iniquidade.

Esta é a sétima edição da pesquisa e aponta um enfraquecimento do crescimento global da riqueza. Isso porque, em termos percentuais, a riqueza global teve crescimento de 1,4%, um acréscimo nominal de 3,5 trilhões de dólares, o que, segundo o Instituto é “um mero acompanhamento do próprio crescimento da população”. O estudo aponta ainda que, pela primeira vez desde 2008, não houve alteração do índice de riqueza por adulto, atualmente em US$ 52,8 mil – cerca de R$ 179,3 mil. O estudo também aponta que o cidadão suíço médio é 11 vezes mais rico que o cidadão mundial médio, com uma riqueza por adulto de US$ 561,9 mil (R$ 1,9 milhão).

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)