Cientistas alegam ter descoberto causa da dislexia

Emmanuel Huybrechts/Creative Commons

Cientistas descobriram o que parece ser a causa principal da dislexia. Através do monitoramento dos cérebros de pessoas disléxicas, pesquisadores descobriram uma diferença considerável em respostas das regiões do órgão responsáveis pelo áudio e visão. Os cérebros das pessoas sem dislexia reconhecem imagens e palavras repetidas com mais facilidade, em um processo conhecido como “adaptação neural”. Enquanto nos disléxicos, uma “assinatura neural” gera níveis mais baixos de capacidade de resposta, mesmo diante de repetições – e essa falta de velocidade de resposta gera o transtorno, de manifestação mais comum quando a pessoa lê.

“Quando você aprende algo, a apresentação inicial contribui para que seja mais fácil fazer isso na segunda vez. A facilidade é marcada pela redução da atividade neuronal. Pois se você fez algo antes é mais fácil de fazer novamente”, explica o professor John Gabrieli, membro do Instituto de Tecnologia de Massachusetts e um dos pesquisadores responsáveis pelo estudo, ao jornal The Independent do Reino Unido. Escaneamentos dos cérebros de pessoas com dislexia mostraram que essa adaptação não é tão efetiva. Seus cérebros precisam de mais repetições para entender a mesma informação. Professor Gabrieli diz que o estudo mostra maneiras de aliviar os efeitos da dislexia aumentando artificialmente a “plasticidade” cerebral, ou seja, a capacidade de resposta a repetições. As técnicas envolveriam, principalmente, estímulos eletromagnéticos.

O professor da Universidade de Boston, Tyler Perrachione, também responsável pelo estudo, destaca a dificuldade do cérebro de pessoas disléxicas em se adaptar. “Adaptação é algo que o cérebro faz para tornar tarefas difíceis mais fáceis. Os disléxicos não têm essa vantagem. Eu fiquei surpreso com a diferença (entre as respostas cerebrais de pessoas com ou sem dislexia). Nas pessoas sem dislexia nós sempre vemos adaptação, mas nos disléxicos, a falta de adaptação é considerável”, afirmou.

Os pesquisadores acreditam que a dislexia só aparece quando as pessoas tentam ler por se tratar de uma tarefa relativamente complexa para o cérebro. Eles destacam que os humanos evoluíram com habilidades verbais de comunicação e o costume de escrever (e também ler) tem ocorrência mais recente em nossa história, principalmente como hábito tão difundido como é atualmente.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)