Calor faz produção de vinho ser a menor já registrada

Wikipedia/commons

Um relatório divulgado pela Organização Internacional de Vinhos (OIV) apontou que a produção da bebida em 2016 foi a menor registrada nos últimos 20 anos. Ao todo, foram produzidos 26 bilhões de litros de vinho, equivalente a 5,7 bilhões de galões. As informações foram divulgadas pelo tabloide do Reino Unido, The Guardian.

Em comparação a 2015, houve queda de cerca de 5% na produção mundial. A queda tem como causa apontada pelo OIV o aumento da temperatura no mundo, afinal, 2016 é o ano mais quente já registrado na história. Diante do aumento da temperatura, tradicionais produtores de vinhos da América do Sul viram suas produções apresentarem quedas bastante significativas. Na Argentina, a diminuição foi de 35%, enquanto no Chile, 21%, o que afeta a produção de vinhos como o Malbec.

A África do Sul, mais uma nação importante no cenário de produtores, deve fechar o ano com redução de 19%. O que tem evitado uma queda ainda maior na produção deste ano é o desempenho bom de países europeus como Itália, França e Espanha, além dos Estados Unidos e Austrália. A única nação que apresenta grande crescimento é a Nova Zelândia, com 35% de aumento na produção.

O aumento recorrente da temperatura se junta ao fenômeno naturais como o El Niño que causou grandes secas e inundações que atingiram em cheio a produção da América do Sul. Entretanto, o aumento da temperatura também produz efeitos tão drásticos quanto. “Cientistas descobriram que a cada grau a mais na temperatura prorroga o momento de colheita em seis ou sete dias”, aponta o cientista Yves Tourre.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)