Altar que recebeu corpo de Jesus é exposto após 461 anos

news.zing.vn/Reprodução

O altar no qual os cristãos acreditam que o corpo de Jesus Cristo repousou após a crucificação terá sua superfície original exposta por cientistas pela primeira vez, desde o ano de 1555. A superfície original foi exposta durante o trabalho de restauração realizado na Basílica do Santo Sepulcro na cidade antiga de Jerusalém, pela National Geographic. Todo o processo realizado pela equipe está sendo filmado dentro da Basílica, considerada o lugar mais sagrado pelo cristianismo.

news.zing.vn/Reprodução

De acordo com o arqueologista Fredrik Hiebert, membro da National Geographic Society, por meio do trabalho, ficou constatado que houve uma enorme quantidade de restaurações realizadas ao longo do tempo no altar. “O mármore que cobria a tumba foi retirado e nos surpreendeu com a quantidade de camadas abaixo dele”, disse, de acordo com o tabloide do Reino Unido Daily Mail.

“Será uma longa análise científica mas, finalmente, será possível ver a superfície original da pedra em que, de acordo com a tradição, o corpo de Jesus Cristo repousou”, acrescentou. O local está dentro de uma estrutura conhecida como Edícula, palavra que vem do latim e significa casa pequena. A Edícula foi erguida alguns quilômetros de distância do local onde Jesus Cristo teria sido crucificado.

news.zing.vn/Reprodução

De acordo com a tradição cristã, o corpo de Jesus Cristo teria repousado em um altar retirado de uma rocha de calcário após sua crucificação pelos romanos. A tradição que consta na Bíblia aponta ainda que três dias após sua morte ele ressuscitou. A restauração completa do local deve ser concluída até março de 2017. A Basílica do Santo Sepulcro é uma das mais antigas do mundo, construída no ano 325 pelo imperador romano Constantino. Depois disso, em 1009, a estrutura foi destruída pelo Califa Al-Hakim e restaurada no ano de 1808 pelas Cruzadas.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)