Vida em Marte foi descoberta há 40 anos, diz estudo

Nasa / Creative Commons

A vida em Marte pode ter sido descoberta há mais tempo do que pensamos: exatos 40 anos atrás. Amostras testadas pela sonda Viking, lançada no planeta vermelho na década de 1970, podem ter detectado a presença de micro-organismos, mas um estudo da Arizona State University e do Natural Institute of Health, dos Etados Unidos, publicado no jornal científico Astrobiology afirma que a controvérsia entre cientistas e possíveis problemas com a sonda serviram de justificativa para que a descoberta fosse colocada de lado.

Ainda na década de 1970, quando as sondas Vikings estavam prestes a serem lançadas no planeta vermelho, cientistas pensaram em um experimento capaz de comprovar a vida em Marte. Criaram uma solução de nutrientes que, interagindo com organismos presentes no solo, liberariam moléculas. Para ter certeza da veracidade do teste, solos diversos, desde o deserto do Atacama até solo da Antártida foram testados. Em marte, assim como na Terra, o solo também interagiu com os nutrientes, liberando moléculas radioativas.

O problema é que um segundo teste feito na terra não conseguiu encontrar reação semelhante, desacreditando cientistas. “É necessário pelo menos um milhão de células microbiais para detectar qualquer matéria orgânica. Os testes feitos na terra depois falharam sucessivamente, mas isso pode ter acontecido por causa da quantidade de perclorato no solo, que destruiu a matéria orgânica”, defende Gilbert Levin, um dos responsáveis pelo estudo.

“Você pode não concordar com o estudo, mas não pode denegrir o trabalho feito pelos cientistas. Você pode dizer que não há provas suficientes, mas, para nós, isso é só uma defesa tênue, já que ninguém questionaria esse resultado se ele tivesse sido obtido na terra”, afirma Levin em entrevista ao jornal científico PHYS.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)