Show no cosmos: o que será possível observar nos céus em 2018

O ano de 2018 será bem movimentado quando se diz respeito às possibilidades de observações astronômicas. Superlua, eclipse total da lua, chuvas de meteoros e até mesmo finalização de missões da Nasa estão presentes no calendário. Logo no primeiro dia do ano foi possível observar a primeira superlua de 2018. Para aqueles que perderam, haverá mais uma chance: já no dia 31 de janeiro, que não estará cheia, mas poderá ser observada em tamanho maior que o comum. Elaboramos um calendário especial para que você possa se programar e prestar atenção aos céus durante os doze meses deste ano.

1. Superlua – 31 de janeiro

Não muito tempo após a primeira Superlua do ano, no final do mês de janeiro poderá ser observada outra Superlua, que não estará cheia, mas na fase de Lua Nova, porém poderá ser observada em tamanho maior que o comum. O evento será acompanhado por um eclipse total do astro – mas, este, só poderá ser observado  no norte da América e da Ásia, Austrália e no Oceano Pacífico.

2. Eclipse parcial do Sol – 15 de fevereiro

Este eclipse parcial do sol pegará parte da região Sul do Brasil, dando maior visibilidade para os estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Alguns locais da Argentina e do Chile verão com mais clareza o fenômeno.

3. Chuva de meteoros Líridas – 22 de abril

Esta é considerada a chuva de meteoros mais antiga de que se tem conhecimento. São chamadas de Líridas por conta da constelação onde estão localizadas: a Lira. A chuva de meteoros acontece entre os dias 16 e 25 de abril, porém, seu auge é previsto para o dia 22.

4. Chuva de meteoros Eta Aquáridas – 5 de maio

A chuva de meteoros Eta Aquáridas ocorrerá entre os dias 19 de abril a 28 de maio, porém, seu auge acontecerá na meia noite do quinta para o sexto dia do mês.  Os meteoros têm origem da constelação de Aquário, mas poderão aparecer em qualquer lugar do céu.

5. Superlua – 13 de julho

Sendo um pouco diferente da Superlua que estamos acostumados, no dia 13 de julho o astro estará na fase de Lua Nova, não se tornando completamente cheia e visível. Porém, seu perigeu, horário em que o astro estará mais próximo da Terra, ocorrerá das 02h48 às 08h30.

6. Chuva de meteoros Delta Aquáridas – 28 de julho

Com uma média de 20 meteoros por hora em seu ápice, a chuva de meteoros Delta Aquáridas. Esse banho de luz recebe esse nome, porque a chuva de meteoros ocorre na Constelação de Aquário. Para ver melhor esse acontecimento, o local ideal é no leste (direção do mar) após meia-noite.

7. Superlua – 11 de agosto

Seguindo a mesma linha da Superlua do dia 13 de julho, o astro continua na fase Nova, permitindo uma observação não completa. O perigeu acontece entre às 09h58 e 18h06 do dia 11.

8. Chuva de meteoros Perseidas – 12 de agosto

A chuva de meteoros com a maior média de estrelas cadentes traz 150 meteoros por hora. O evento ocorre entre os dias 7 de julho e 24 de agosto, com seu ápice no dia 12. Os recifenses poderão assistir de forma privilegiada, já que o melhor lugar para visualização é a Região Nordeste, em um lugar sem muitas luzes da cidade e após a meia-noite.

9. Eclipse total da Lua – 27 de julho

O eclipse total lunar é o evento que ocorre quando o Sol, a Terra e a Lua se encontram próximos ou em perfeito alinhamento, estando a Terra no meio dos outros dois corpos. O eclipse poderá ser visto na América do Sul – em todo o Brasil –, África e outras regiões.

10. Chuva de meteoros Orônidas – 23 de outubro

A chuva de meteoros Orônidas ocorre entre os dias 2 de outubro a 7 de novembro, com seu ápice no dia 23, chegando a uma média de 60 estrelas cadentes por minuto.

11. Chuva de meteoros Leônidas – 17 de novembro

O banho de luz que ocorre no momento mais intenso dessa chuva chega a 40 meteoros por hora. Seu auge é a partir da meia-noite, do dia 17 para o dia 18, chamando olhares para a Constelação de Leão.

12. Chuva de meteoros Geminidas – 13 de dezembro

A chuva de meteoros Geminidas ocorre entre os dias 4 e 17 de dezembro, com seu ápice no dia 13. Com uma média de 120 meteoros multicoloridos por hora, a partir da meia noite.

Bônus:

13.  Parker Solar Probe – 31 de julho a 19 de agosto

A missão Parker Solar Probe, da NASA, quer tocar o Sol. Os astrônomos vão enviar uma sonda, entre os dias 31 de julho e 19 de agosto, para navegar na superfície solar, o mais próximo possível, e enfrentar condições extremas de calor e radiação, com o intuito de trazer observações inéditas sobre a estrela.

14. InSight – 26 de novembro

A missão InSight, também da Nasa, enviará instrumentos geofísicos sofisticados para explorar a superfície de Marte, procurando por vestígios dos processos de formação do planeta vermelho. A aterrissagem está prevista para 26 de novembro.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)