Piranhas atacam banhistas no Rio São Francisco para proteger filhotes

Moradores de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA) relataram ataques do peixe, possivelmente relacionados ao período de reprodução da espécie, nas águas do Rio São Francisco

Parte da população de Petrolina, no Sertão do São Francisco, está assustada depois de relatos de ataques de piranhas nas águas do Rio São Francisco. De acordo com especialistas, os ataques são incomuns, tendo registros restritos ao período que vai de fevereiro a maio, época de desova da piranha branca, endêmica na região. O ataque, no entanto, não tem fins de alimentação, mas de proteção dos ovos e filhotes de possíveis predadores maiores.

No início do mês de abril, a dona de casa Joseane Silva tomava banho nas margens do rio com algumas amigas quando sofreu o ataque. “Minha amiga se aproximava com um filho pequeno. Eu estava com a água, mais ou menos, na altura da coxa e mexendo na água com a mão. Quando ela ia sentar com o menino, senti a mordida num dedo da mão esquerda”, conta. Desesperada, Joseane relata ter corrido atrás de ajuda. “Depois de amarrar o dedo mordido para estancar o sangue, fui para um hospital. Dava para ver meu osso pelo ferimento”, lembra. Moradora do bairro de São Geraldo, em Juazeiro do Norte (BA), a dona de casa aguarda a cirurgia de enxerto de pele no dedo atingido. “Onde moro, mais dois vizinhos foram atacados”, garante.

As piranhas jovens alimentam-se de camarões e insetos, enquanto as adultas possuem preferência por peixes menores. Carne humana, portanto, não faz parte do “cardápio” do animal. “O normal é acontecer duas ou menos mordidas, para assustar, fazer a pessoa sair de perto dos ovos. A finalidade é cuidar dos filhotes”, diz Bentinho. De acordo com o biólogo, não é necessário que as pessoas deixem de tomar banho no rio. “Basta evitar as áreas onde há vegetação, onde a chance de encontrar piranhas é maior”, orienta. Em caso de mordidas, elas não liberam nenhum tipo de substância tóxica. “É importante fazer o curativo para evitar inflamações”, conclui o biólogo.

O Corpo de Bombeiros, no entanto, recomenda evitar banhos na região durante o outono e procurar um posto de saúde em caso de ataque, para lidar com o sangramento.

Piranha Branca (Serrasalmus brandti)

-Nativa do Brasil (Bacia do São Francisco

-Tamanho: Entre 25 cm e 30 cm

-Alimentação: Carne de peixes, moluscos e outros invertebrados

-Expectativa de vida: Até 5 anos

-Espessura dos dentes das adultas: 1,5 cm

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Marília Parente

Marília Parente

Repórter

Comentário(s)

Comentário(s)