Islândia é o primeiro país a obrigar salários iguais entre gêneros

GoodFreePhotos/Monica Volpin

No Dia Internacional da Mulher, a Islândia tornou-se o primeiro país do mundo a forçar empresas a provarem que todos os funcionários recebem o mesmo salário, independentemente do gênero, etnia, sexualidade ou nacionalidade. O anúncio do governo diz que será entregue um certificado para todos os negócios com mais de 25 funcionários que seguirem as novas regras. Esse esquema não é inédito, a Suíça e o estado de Minnesota, Estados Unidos, também seguem essa ideia, mas a Islândia é o primeiro a fazer uma exigência obrigatória dessa condição.

“Está na hora de fazer algo radical sobre esse assunto”, disse o ministro de Igualdade e Assuntos Sociais, Thorsteinn Viglunsson, para o site de notícias britânico Independent. “Direitos iguais são direitos humanos. Precisamos nos certificar de que homens e mulheres tenham oportunidades iguais no ambiente de trabalho. É nossa responsabilidade fazer o que for preciso para garantir isso”. A intenção é erradicar completamente a diferença de salários até 2022.

Essa ação veio após milhares de trabalhadoras terem protestado, em outubro, por ganharem menos do que os homens. A Islândia é considerada a melhor no mundo em questões de gênero pela World Economic Forum, por oito anos seguidos. Mesmo assim, as mulheres ainda ganham entre 14% e 18% a menos que homens.

A nova legislação aguarda aprovação do parlamento.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)