Índia é o país com maior registro de morte por selfie em 2015

Não é muito comum imaginar que alguém possa morrer enquanto faz sua pose perfeita para uma selfie, mas esse incidente está cada vez mais comum. Segundo o The Washington Post, em 2015, foram registradas 27 mortes por causa de selfies ao redor do mundo, a maioria delas na Índia.

O caso está tão sério no país que eles passaram a identificar o “No selfie Zone”, locais que possuem alertas para que as pessoas não façam auto-retrato, por conta dos altos índices de acidentes. Essa medida foi uma forma de tentar controlar os acidentes, mas já nas duas primeiras semanas de 2016 foram registradas três mortes.

Dezesseis áreas, incluindo o Marine Drive e a praia Girgaum Chowpatty, famosos pontos turísticos do país, foram identificados, pela polícia, como lugares perigosos para as pessoas tirarem selfies. Um porta voz da polícia de Mumbai, Dhananjay Kulkarni, falou sobre a medida à BCC:  “As cidades do país devem colocar avisos em pontos de risco de acidentes para alertar as pessoas e implantar guarda-vidas nos pontos turísticos”.

A medida foi tomada depois que três meninas caíram no mar após tentarem tirar uma selfie em Worli Sea Link, este local está na lista feita pela polícia. Um transeunte que passava pelo local, Ramesh Walunj, também morreu afogado tentando salvar duas das jovens, como noticiou o India Times.

Além desse caso, indianos já morreram enquanto se fotografavam em frente a um trem em movimento e um turista japonês também morreu após ficar gravemente ferido ao cair de um escadaria do Taj Mahal, enquanto fazia a selfie.

Por outro lado, os auto-retratos são bem famosos no país e, de certa forma, incentivados, assim como em outras partes do mundo. O primeiro ministro indiano, Narenda Modi, sempre tira selfies ao lado de outros líderes mundiais. Além disso, o filme com maior bilheteria, em 2015,  de Bollywood, Bajrangi Bhaijaan, trouxe em sua trilha sonora a canção “Selfie le le re”, que ficou bem popular no país.

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)