Família para velório por achar que homem estava vivo

Correio do Lago Santa Helena / Youtube

Durante um velório na cidade de Santa Helena, no Paraná, a família do homem que estava sendo velado foi obrigada a interromper a cerimônia para um médico examinar o morto. Depois de receber o atestado de óbito sem causa da morte, família percebeu que o homem ainda estava com o corpo quente e médico achou batimentos cardíacos.

Neimar Bonetti, de 44 anos, teve sua morte constatada em um hospital da região. Porém, durante o velório, o médico constatou batimentos cardíacos no corpo do morto. Para confirmar se o homem estava realmente vivo foi necessário pausar o velório e levá-lo até o hospital para realização de exames complementares.

“Normalmente, o coração depois do óbito ainda emite uma atividade elétrica por algum período. Eu fui acionado junto com uma enfermeira e levei um oxímetro que constatou o pulso, mas precisei levar para o hospital para confirmar. A gente entende a família, mas o que eu fiz foi só tranquilizá-los”, explica o médico que realizou o atendimento, Fernando Santim, ao Extra.

A dona da funerária, Terezinha Maria, contou que em 43 anos de trabalho isso nunca tinha acontecido e que pode perceber a comoção geral de todos que estavam presentes. Mas, após ter passado pelo procedimento de tanato, onde é retirado o sangue e outros fluidos do corpo, teria que ser um milagre o resultado ser diferente. No hospital, dois médicos realizaram novos exames, inclusive eletrocardiograma, e confirmaram a morte do paciente.

O vídeo, compartilhado nas redes sociais, mostra o momento em que o um oxímetro – aparelho que mede os batimentos cardíacos – detectou os batimentos. Confira:

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)