Estudo de transplante de porcos para humanos avança

Pixabay/Reprodução

Cientistas deram um passo significativo e acenam para a esperança de conseguir, um dia, transplantar órgãos de porcos para humanos, após conseguirem remover com sucesso traços do retrovírus, naturalmente presente no DNA do animal. A pesquisa abre as portas para a criação dos porcos especificamente para usar os órgãos a partir da necessidade de tecido humano. Um dos maiores desafios dessa descoberta são as objeções éticas da questão, mas os especialistas da Universidade de Kent, Inglaterra, dizem que se trata de uma conquista significativa na possibilidade de xenotransplante (do porco para o humano).

A falta de órgãos para transplante é uma das maiores crises da medicina moderna e a quantidade de tecido disponível é muito baixo comparado com a demanda, de acordo com o portal de notícias britânico Independent. A possibilidade de usar porcos para esse propósito ajudaria a sanar essa falta, graças a similaridades com órgãos de humanos e a facilidade em “criá-los”.

Até o momento, o uso de órgãos de humanos haviam sido evitados por causa dos riscos de retrovírus de porcos que são fatais para seres humanos – junto à possibilidade de gerarem uma epidemia, transferindo a doença de humano para humano. Anteriormente, esses retrovírus pareciam ser impossíveis de remover, mas os pesquisadores conseguiram removê-los do porco, a partir de uma técnica de edição genética.

As preocupações éticas incluem os riscos e benefícios para a pessoa que vai receber o coração do animal. Também seria difícil, em algumas situações, ter certeza de que o paciente aceitaria passar pelo procedimento e receber o órgão do porco. Porém, a esperança é de que, assim como transplantes de órgãos humanos para humano foi rejeitado no início, o transplante de porco prove que seria realmente útil e seguro.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)