Mulher acha amigo morando na rua e faz campanha para pagar reabilitação

Wanja Mwaura/Facebook
Apelidado de “Pelé” durante a época da escola, o então morador de rua Patrick Hinga, 34, foi resgatado da sarjeta por uma grande amiga de infância. Após mais de 15 anos sem se o ver, a enfermeira Wanja Mwaura, 32, estava andando pelas ruas de Nairóbi, no Quênia, quando foi abordada pelo homem a chamando por seu nome. Hinga era usuário de droga e estava sob efeito dela no momento do reencontro. Mesmo assim, preocupada, Wanja deu o número do seu celular para o homem a fim de que ele ligasse quando fosse preciso. Ela pagou um almoço para ele e foi embora. Mas, tocada com a situação do amigo, quis ajudá-lo de alguma forma. Wanja usou das redes sociais para levantar fundos com o intuito de pagar uma reabilitação para Hinga. Mesmo sem conseguir angariar todo o valor necessário, ela o levou ao centro de qualquer maneira. “Não tinha certeza de como seríamos capazes de cobrir isso”, disse Wanja em entrevista ao jornal britânico BBC. Para sua surpresa, ele não precisou passar muito tempo. O homem passou pela desintoxicação por nove dias e melhorou consideravelmente. “Há uma semana, Hinga e eu não conseguimos manter uma conversa normal sem que eu tentasse segurar sua cabeça para que ele se concentrasse. Hoje, podemos conversar olhando nos olhos”, relatou Wanja em seu Facebook. A história ganhou destaque nas redes sociais e sua publicação, contanto a inusitada situação, já tem milhares compartilhamentos. A mídia queniana começou a noticiar a história e o Chiromo Lane Medical Center, local que Hinga passou nove dias, renunciou a taxa cobrada em seu tratamento. Agora, a enfermeira está angariando mais dinheiro para dar continuidade ao programa de 90 dias no The Retreat Rehabilitation Center – onde Hinga está atualmente.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)