Empresários querem construir parque de diversões erótico, que definem como a “Disney do sexo”

SoftLove/Divulgação

O nome diz tudo: Erotika Land. O primeiro parque erótico brasileiro pode sair do papel, no que depender de dois empresários de São Paulo. O projeto contempla um investimento de R$ 80 milhões em uma área de mias de 150 mil metros quadrados no município de Piracicaba, a menos de duas horas de São Paulo (SP). A expectativa é que cerca de 3 mil pessoas, todas maiores de 18 anos, circulem no local, composto por equipamentos de lazer como uma piscina de nudismo e um sex playground.

O sonho é dos empresários Paulo Meirelles e Mauro Morata, donos da fábrica de cosméticos e próteses Soft Love, que se juntaram a Evaldo Shiroma, um dos idealizadores da Erotika Fair, primeira do gênero no país.

SoftLove/Divulgação

Em comunicado oficial, Meirelles diz: “Sabemos que é um projeto bem ousado, mas nossa intenção é tornar o local um ponto turístico internacional”.

SoftLove/Divulgação

Entre os equipamentos previstos está um cinema 7D, com direito a vibrações e mudanças de temperatura, uma roda gigante privê, em que os casais conseguem observar a vista com privacidade, uma espécie de trem fantasma com strippers de ambos os sextos em vez de assombrações, além de áreas de escultura de sex shops. Também haverá carteirinhas de sócios, com direito a áreas VIP.

De acordo com o projeto original, o empreendimento deve ficar pronto até o segundo semestre de 2017.

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)