Qualidade do sono na infância influencia consumo de álcool e maconha no futuro

Rachel Calamusa/Creative Commons

De acordo com uma pesquisa conduzida pelo Departamento de Psiquiatria da Universidade de Medicina de Pittsburgh, crianças que são mais privadas de suas horas de sono têm maior probabilidade de consumir álcool em excesso – além de outras substâncias – no futuro. O estudo foi feito em um período de dez anos e utilizou 186 meninos a partir dos 11 anos de idade. Aqueles que sofriam maiores interrupções foram os mais precoces no consumo de bebidas alcoólicas e maconha.

Os garotos foram selecionados após suas mães responderem a um questionário a respeito do sono da criança, a partir do qual foram calculados a qualidade e o tempo de repouso. Dez anos depois, aos 21 anos, eles foram entrevistados a respeito de suas experiências com drogas e álcool. A partir disso, avaliou-se que cada hora de sono a menos era associada a uma aceleração de 20% para o primeiro uso de bebidas alcoólicas e maconha.

“Após considerar outras possíveis influências, nós pudemos determinar que os problemas relacionados ao sono são precedentes de problemas relacionados ao uso de substâncias”, explicou o autor da pesquisa, doutor Brant Hasler, ao Daily Mail. “Tratar o sono agora pode ser algo que podemos incluir no nosso pacote de prevenção e tratamento do abuso dessas substâncias”, conclui.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)