Coréia do Norte incentiva cidadãos a matar e comer cachorros

Change for Animals Foundation / Divulgação

A Coréia do Norte virou alvo de polêmica com a notícia de canais estatais incentivando moradores do país sobre a suposta importância de comer carne de cachorro. De acordo com o jornal Korea Times, um programa de rádio chegou a considerar a comida como “o melhor alimento para dias quentes”. Outra rádio local teria feito, ainda, uma competição culinária com várias receitas compostas pelo “dangogi” (carne doce, como é chamada no país). “Essa competição mostra uma parte de nossas excelentes tradições e costumes”, afirmou um dos locutores do programa. O incentivo teve início no mês de junho de 2016 e continuou durante todo o mês de julho.

Citando livros medicinais escritos entre 1400 e 1900, um canal de propagandas no Youtube afirma que as proteínas e vitaminas do animal ultrapassam a dos porcos e galinhas, melhorando a saúde no estômago e no fígado de quem o consome. O canal ensinou também a “melhor forma de preparar a carne”: batendo no cachorro até a morte e removendo a pele antes de colocá-lo no fogo, para “melhorar o gosto”. O consumo de carne nas duas coréias foi considerado histórico, com registros encontrados desde 400 anos a.C.

Hoje, estima-se que 5% da população tenha este “hábito”. Na Coréia do Sul, no entanto, amplos protestos são realizados anualmente contra o consumo da carne de cães.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)