Companhia aérea ganha direito de pesar passageiros

Kathika / Flickr

Você já não pode mais agendar um assento na Hawaiian Airlines, uma das principais companhias a realizar conexões com Honolulu, no Hawaí (EUA). Isso porque a companhia garantiu, na Justiça, o direito de pesar os passageiros agendados e definir onde (e se) eles devem voar. O plano inclui a possibilidade de deixar um assento vazio ou ocupado por crianças abaixo dos 13 anos por cada fileira, sob o argumento de melhor distribuição do peso em toda a aeronave, o que geraria mais segurança e economia de combustível para a companhia.

A medida tem sido encarada com polêmica, porque passageiros alegam que a conduta da empresa visa apenas uma de suas rotas: Honolulu – Pago Pago. Isso porque o público, nesse caso, é massivamente composto por descendentes do povo da Samoa, conhecida por ter uma das maiores taxas de obesidade em todo o mundo. Desde setembro de 2016, pelo menos seis queixas foram feitas ao Departamento Nacional de Transportes dos Estados Unidos.

De acordo com o jornal britânico The Independent, a empresa começou, de forma voluntária e temporária, a pesagem de passageiros em fevereiro, mas não repetiu a conduta na Coreia do Sul ou no Japão, por não identificar excesso de peso. Ao veículo, o porta-voz Alex Da Silva alegou que a empresa ainda pode acomodar todos os interessados e sentar famílias juntas e lembra que outras companhias já pesam passageiros, como a Samoa Air (desde 2013) e a Uzbekistan Airways (desde 2015).

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)