App usa redes sociais para prevenir suicídio juvenil

John Pestian/Reprodução

Pesquisadores norte-americanos estão desenvolvendo um aplicativo capaz de identificar pessoas em risco de cometer suicídio com 93% de precisão. A partir de gravações de conversas, o programa utiliza algoritmos para analisar pistas com base no que é dito e em como as pessoas falam, classificando aquelas que apresentam um nível maior de risco. O estudo utilizou um total de 379 pacientes, dos quais alguns apresentavam tendências suicidas, outros eram diagnosticados com doenças mentais e alguns que não se encaixavam em nenhum dos quadros.

Durante a pesquisa, os participantes tiveram que passar por avaliações e entrevistas para classificar seu estado emocional, de forma a ser coletada toda informação – verbal e não verbal – dada por cada indivíduo. Esses dados foram utilizados para a formação do algoritmo, de forma a classificar os participantes em um dos três grupos e apontar os suicidas em potencial. Entre os indicadores não-verbais, suspiros, risos e pausas na fala foram elementos-chave para categorizar os pacientes. Os pesquisadores avaliaram que o grupo saudável ria mais e suspirava menos que os demais.

“Essa metodologia pode facilmente ser estendida às escolas, abrigos, clubes juvenis e centros comunitários, em que uma identificação precoce pode ajudar a reduzir as mortes e as tentativas de suicídio”, disse um dos pesquisadores, John Pestian, ao Daily Mail. O cientista atualmente busca encontrar mais pistas não-verbais que possam passar despercebidas. Um de seus métodos inclui filmar entrevistas com uma tecnologia de rastreamento de rostos, de forma a identificar quando alguém olha para baixo com muita frequência – hábito mais comum entre pessoas com tendências suicidas. Atualmente em fase de testes, o algoritmo foi incorporado em um aplicativo e está sendo experimentado em escolas nos Estados Unidos.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)