App mostra o quanto mulheres são interrompidas por homens

Woman Interrupted / Reprodução

O ato de tentar silenciar uma mulher é uma forma de machismo. Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade George Washington (EUA), em 2014, apontou que as mulheres são significativamente mais interrompidas do que os homens. Esse tipo de comportamento foi muito debatido durante o período das eleições norte-americanas, quando Donald Trump, interrompeu Hillary Clinton por 51 vezes em um debate.

Inspirada pelas discussões e relatos de muitas mulheres, a agência BETC São Paulo idealizou o aplicativo Woman Interrupted, uma plataforma que contabiliza quantas vezes um homem interrompe a fala feminina. “À primeira vista, pode parecer um problema pequeno, mas que reflete questões mais profundas da desigualdade de gênero no trabalho e na sociedade. O aplicativo é uma forma de mostrarmos que, na verdade, a interrupção é real e alarmante”, comenta Gal Barradas, sócia-Fundadora e Co-CEO da BETC São Paulo, para o site IDG Now.

Após calibrar e cadastrar a voz, é usada a diferença na frequência de voz masculina e feminina como parâmetro. A tecnologia permite identificar em quais momentos a usuária foi interrompida por um homem ou, no caso de um usuário masculino, em quais momentos ele interrompeu uma mulher.

A empresa ainda prevê o lançamento de um Dashboard Global que apresentará uma análise dos dados coletados ao redor do mundo e pretende disponibilizar, informações como número de interrupções por minuto e por país, além de comparativos entre regiões e faixa etária.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)