Morte em massa de botos em extinção no RJ é causada por vírus

Instituto Boto Cinza/Twitter

A causa da morte misteriosa de cerca de 150 botos cinza da Baía de Sepetiba, local com maior concentração da espécie no mundo, foi descoberta: um surto de morbilivírus. Esta foi a primeira vez na qual esse tipo de vírus foi detectado em cetáceos na América do Sul. O surto foi indicado em um boletim técnico feito por pesquisadores do Laboratório de Mamíferos Aquáticos e Bioindicadores da Faculdade de Oceanografia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Maqua/UERJ) e do Laboratório de Patologia Comparada de Animais Selvagens da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP (LAPCO/FMZV/USP).

“Chama atenção a presença de uma agente infeccioso, da família do paramixovírus, que, embora só tenha sido detectado uma vez no Brasil, é relacionado à mortalidade em massa de cetáceos em vários lugares do mundo”, afirmou Eletieri Santos Neto, do Maqua, ao jornal Estado de São Paulo. De acordo com o documento, não se sabe quanto tempo esse surto pode durar, dependendo de quantos animais suscetíveis estiverem lá. Os fatores que contribuíram para a disseminação ainda são desconhecidos e estão sendo investigados. Os vírus da família do morbilivírus não costumam ser transmitidos de animais para humanos. Cerca de 13% das espécimes da Baía foram mortas. 78 deles morreram em um período de 17 dias.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)