Qual a melhor planta para sua residência? Faça o teste e confira dicas de especialistas

Plantas para apartamento, plantas para o jardim? Com pouca ou muita luz? Algumas espécies se adaptam melhor a cada tipo de ambiente. Mesmo com todos os cuidados, o lugar reservado para o vegetal é determinante para sua longevidade. Mas, segundo a professora do Laboratório de Floricultura do Departamento de Agronomia da UFRPE, Vivian Loges, e o paisagista Marcelo Kozmhinsky, com algumas informações sobre os ambientes e, seu perfil, é possível facilitar as escolhas. Eles deram dicas de espécies indicadas para diversos tipos de ambientes, além de algumas curiosidades.

 Sem luz, sem vida

Primeiro é preciso esclarecer que todas as plantas precisam de luz solar para viver. Algumas mais, outras menos. Mas uma coisa é certa: sem luz alguma, nenhuma resiste. “Elas precisam de sol para realizar a fotossíntese. Isso significa que em ambientes fechados, sem luz natural, não conseguem sobreviver por muito tempo”, esclarece Kozmhinsky.

 Boa incidência solar

Para os locais em que os raios solares estão presentes, são adequadas as chamadas ““plantas de meia sombra”. Para este caso, são aconselhadas samambaias, bromélias, alfinetes. Para quem busca flores, são indicadas o antúrio, lírio da paz e algumas espécies de orquídeas.

  Pouca incidência solar

Em locais com pouca incidência de luz, são aconselhadas plantas compatíveis com ambientes sombrados. Nesse critério se adequam: Palmeira rafis ou Rafia, a Zamioculca, a Aglaonema. “Plantas com características rústicas também conseguem sobreviver por longo tempo, como a espada e lança de São Jorge e cactos”, frisa Kozmhinsky. Vivian destaca ainda a Renda portuguesa, a Árvore da felicidade e a Cheflera pequena como ótimas opções para esses ambientes.

 Flores na varanda

Algumas plantas, aponta Vivian, são uma boa opção para preencher as telas de segurança utilizadas em varandas. As trepadeiras com flores como a Alamanda Amarela ou Roxa são uma boa opção. Outros tipos como a Lágrima-de-Cristo e o Jasmim da Índia são indicadas para quem quer atrair beija-flores e outros passarinhos para a varanda. Quem desejar ainda pode optar por plantas com frutos como o maracujá ou tomate tipo cereja.

 Sem tempo para cuidar

Rotina corrida? Calma, algumas plantas também podem se adaptar ao seu dia a dia. Plantas suculentas e cactáceas como o Mandacaru e a Yuca não precisam ser regadas frequentemente e se tornam boas opções para estes casos.

 Plantas que oferecem sombra

Para quem tem um jardim e busca um proteção do sol, algumas árvores nativas como os Ipês e o Pau-Brasil são indicadas. A Pata de Vaca também é uma opção que acrescenta beleza com suas flores.

 Quem busca frutos

Pés de pitanga e caju, são algumas espécies de médio porte aconselhadas para quem busca frutas. Se o espaço for menor, a dica é investir em aceroleiros, jabuticabeiras e limoeiros. “Outras de maior porte como a mangueira e a caramboleira podem atrair insetos, sobretudo mosquitos, na época da frutificação”, explica Kohzmhinsky.

 Sem tempo para limpar

Não quer gastar seu tempo varrendo as folhas caídas da árvores? Evite as caducifólias. Essas plantas perdem suas folhas em determinada época do ano, geralmente outono ou inverno, caso da castanhola, o sombreiro e a Pata de Vaca.

Saiba mais

l

Legalidade

O artigo 30 da Lei 17666 de 2010, que disciplina a arborização urbana do Recife, proíbe o plantio de alguns tipos de plantas em vias públicas pela possibilidade de danos que as raízes podem causar em muros, meios-fios, calçadas e tubulações subterrâneas. Exemplos são o Eucalipto, Figueiras em geral, Flamboyant, Pinheiro e a Tulipa africana. O cuidado deve ser levado para dentro de casa. Elas crescem rápido e buscam alimentos e água, podendo fissurar piscinas e caixas d’água.

Ao natural

Algumas plantas também são aconselháveis para ambientes fechados por conta de suas propriedades “purificadoras” para o ar. Nesse quesito, se encaixam a Palmeira de Bambu, a Espada de São Jorge e o Lírio da Paz. Esse último exemplo, por sinal, é utilizado em banheiros ou lavanderias por sua característica de remoção de esporos de fungos. As outras têm a capacidade de eliminar o metanol, composto químico que pode causar irritação na pelo e nos olhos em caso de contato acidental.

Cuidado

Algumas espécies tóxicas podem prejudicar crianças e animais de estimação, por ingestão ou contato, explica Marcelo. Filhos pequenos ou animais? Melhor evitar algumas plantas. A Comigo-ninguém-pode, a Bico de papagaio e a Alamanda são alguns exemplos. “As plantas conhecidas como filodendros, jiboias e antúrios são ótimas para locais de meia sombra, mas deve-se considerar que são do grupo das aráceas e também podem ter princípios tóxicos”, exemplifica Vivian.

João Vitor Pascoal

João Vitor Pascoal

Repórter

João é estagiário do Diario, com passagem pela editoria de Política e atualmente escreve para a célula de dados do jornal. Diz não ter tempo para cuidar de plantas.

Comentário(s)

Comentário(s)