(Re)Construindo sonhos: a arte de resistir e recomeçar

Fotografias de João Velozo mostram o trabalho de reinvenção da comunidade Construindo Sonhos, atingida por um incêndio em maio de 2016, no Recife

 

Mais do que uma infinidade de possibilidades, o mundo dos sonhos é povoado por uma gama complexa de cores, tão numerosas quanto permita a imaginação. É incrível pensar que o fogo converte possibilidades e cores a cinzas. Foi assim com a comunidade Construindo Sonhos, no Torreão, no Recife, desde a última sexta-feira (13), quando um grande incêndio tomou de assalto as residências da maioria das 126 famílias que ali residiam.

Quando o estagiário de fotografia do Diario João Velozo chegou ao local onde as famílias reviravam as tais cinzas em busca de resgatar o mínimo poupado pelas labaredas, alguns focos ainda ardiam. Nessas horas, a união faz diferença e os braços que recebem doações são os mesmos que, com destreza, lidam com pás e carros de mão.

Há quem ponha tijolos de volta, como quem reconstrói a própria resiliência. Há quem brinque em meio aos restos, com a certeza infantil de que tudo ficará bem. Há também quem não ceda sequer um sussurro, guardando para si a força do discurso reservada para o momento em que o tal sonho se faça presente, real e palpável.

João Velozo/DP

É nesse silêncio que reside a força das imagem a seguir. Registros de certezas que seguem em frente sem tempo ou espaço para floreios. É o retrato da troca da subjetividade da espera pela objetiva necessidade, aquela que reduz tudo ao preto no branco…

João Velozo

João Velozo

Fotógrafo

João é estagiário de fotografia do Diario. Sempre envolvido, inclusive voluntariamente, na cobertura de movimentos sociais, faz da rua seu observatório particular. Assina este ensaio, que tem texto de Ed Wanderley.

Comentário(s)

Comentário(s)