Pernambuco olímpico: os 7 medalhistas do estado

Estado tem sete atletas medalhistas em três modalidades esportivas e busca novos nomes para tentar surpreender no Rio de Janeiro e em Tóquio

O Brasil começou a participar dos Jogos Olímpicos em 1920 e, de lá para cá, já se foram 25 edições com o passaporte canarinho carimbado. Mas apenas nas seis últimas edições, a partir de 1992, Pernambuco começou a contribuir para a conquista de oito das 108 trazidas para o país e as apostas nunca estiveram tão altas quanto na edição 2016 do evento, a ser realizado no Rio de Janeiro.

Considerando cenário econômico, desafios enfrentados pelos atletas e, claro, a disparidade abissal com investimentos em esportes mais populares como o futebol, as cifras impressionam justamente porque são inversamente proporcionais à imensa relevância de se ter um atleta num pódio olímpico. Quando a sertaneja Yane Marques conquistou o bronze em 2012, numa modalidade que tantos brasileiros sequer tinham familiaridade, os olhos se voltaram a Pernambuco, que tenta revelar mais nomes no pentatlo moderno: Larissa Lellys e Priscila Oliveira.

Quanto vale uma medalha?

Peso varia de 400g a 550g

Ouro

%

em seu interior, na verdade, é prata

%

do interior é composto de cobre

%

é o revestimento de 6g de ouro (24 quilates), uma cobertura de 6mm

R$ 1.960

Prata

%

é prata pura, não coberta

%

do interior é, também, cobre

R$ 1.170

Bronze

%

é composta, na verdade, de cobre

%

é o revestimento de zinco e estanho

R$ 11

Por que esses elementos?

As medalhas não foram escolhidas por acaso. Os elementos ouro, prata e cobre são da mesma família na tabela periódica e possuem características semelhantes – como a de serem encontrados em formas nativas na natureza. A gradação de valor corresponde à raridade com que eles são encontrados. O curioso é que o bronze não faz parte da tabela periódica por não ser um elemento,mas uma liga de cobre e estanho. O certo seria “medalha de cobre”, mas optou-se por chamá-la de bronze.

Valor agregado

As medalhas valem mais por seu valor simbólico do que pelo material precioso. A primeira medalha de ouro do hóquei, pertencente a Mark Well, foi leiloada em 1980 por US$ 310 mil (R$ 980 mil).

Nos Jogos Olímpicos de Estocolmo foi confeccionada a última medalha de ouro puro (desde então, a base é, na verdade, prata) – Na época, a medalha valeria R$ 3.830.

Em Paris foram confeccionadas as medalhas de ouro mais valiosas – R$ 8.455 (hoje, para fazer a mesma medalha, o valor seria de aproximadamente R$ 20 mil).

Nossos Atletas

Bárbara Micheline do Monte Barbosa

Idade: 27 anos
Altura: 1,73m
Nascimento: Recife, 04/04/1988
Medalhas: Prata – Pequim, 2008

Futebol (Goleira)

Na carreira: Jogou pelo Sport, atua pelo Kindermann (SC) e atualmente está na seleção
Curiosidade: Disputou 2 sulamericanos, dois Panamericanos, 2 mundiais e 2 Olimpíadas

Jaqueline Maria Pereira de Carvalho Endres

Idade: 31 anos
Altura: 1,86m
Nascimento: Recife, 31/12/1983
Medalhas: Ouro – Pequim, 2008
Ouro – Londres, 2012

Vôlei (Ponteira)

Na carreira: Foi eleita melhor jogadora do mundo, em 2001
Curiosidade: É uma das pernambucanas a ter posado para um ensaio sensual da revista VIP, em agosto de 2007

Danielle Rodrigues Lins

Idade: 30 anos
Altura: 1,81m
Nascimento: Recife, 05/01/85
Medalhas: Ouro – Londres, 2012

Vôlei (levantadora)

Na carreira: Iniciou a carreira no Sport. Acumula 16 medalhas em competições internacionais, sendo sete de ouro
Curiosidade: Queria ser nadadora e começou a jogar vôlei para conseguir bolsa num colégio do Recife na adolescência

Yane Márcia Campos da Fonseca Marques

Idade: 31 anos
Altura: 1,66 m
Nascimento: Afogados da Ingazeira, 07/01/1984
Medalhas: Bronze – Londres, 2012

Pentatleta

Na carreira: Terceiro-sargento do Exército pela Comissão de Desportos do Exército, no Rio de Janeiro e única medalhista olímpica no pentatlo moderno na América Latina
Curiosidade: Nas Olimpíadas, Yane obteve sua melhor marca na natação (200m em 2’12”39) e somou 5.340 pontos, apenas 68 a menos que o recorde olímpico, batido naquele ano. Dentro d’água, ela se deslocou ao equivalente a uma caminhada apressada de uma pessoa comum em terra firme, a uma velocidade de 5,4km/h

Rivaldo Vitor Borba Ferreira

Idade: 43 anos
Altura: 1,86 m
Nascimento: Paulista, 19/04/72
Medalhas: Bronze – Atlanta, 1996

Futebol (Meia)

Na carreira: Um total de 417 gols marcados em mais de 900 jogos oficiais. Juntas, as partidas somam 696 horas e 45 minutos – o mesmo que 29 dias corridos
Curiosidade: Chegou a jogar junto ao filho, Rivaldo Jr., pelo Mogi Mirim, em 2013

André Felippe Falbo Ferreira (Pampa)

Idade: 50 anos
Altura: 1,98 m
Nascimento: Recife, 24/11/64
Medalhas: Ouro – Barcelona, 1992

Vôlei (Ponteiro)

Na carreira: Chegou a registrar a cortada mais veloz numa Liga Mundial (1995): 197 km/h, o suficiente para que a bola atravessasse uma piscina olímpica (50m) em um segundo
Curiosidade: Candidato a deputado federal de São Paulo pelo PV, em 2010

Anderson Hernanes de Carvalho Viana Lima

Idade: 30 anos
Altura: 1,84 m
Nascimento: Recife, 29/05/1985
Medalhas: Bronze – Pequim, 2008

Futebol (Volante/Meia)

Na carreira:Em 2014, teve passe vendido ao Inter de Milão (Itália), onde atua, por 20 milhões, o suficiente para quitar a folha de pagamento de Sport, Santa Cruz, Náutico e Salgueiro por um total de 1 ano e 8 meses (considerando estimativas de folhas do estadual 2015 – R$ 3,48 milhões)
Curiosidade: Parte de um seleto grupo que reúne apenas 1% da população, o pernambucano é ambidestro (não há parte dominante do cérebro e possui habilidade com os membros direitos e esquerdos – entre 5 e 10% da população é canhota e os demais, destros.

Comentário(s)

Comentário(s)