Negligência de hospital põe mulher em hemodiálise por toda vida

Uma mulher inglesa vai passar o resto da vida dependendo de hemodiálise após o hospital no qual estava internada para realizar um transplante de rim aceitar um órgão fora dos padrões. O órgão, que fora recusado por outros dois hospitais, pertencia a uma pessoa que fumava 25 cigarros por dia, além de ter pressão alta.

Janice Richardson, de 55 anos, natural da cidade de Leeds, na Inglaterra, estava internada e esperava por um transplante de rim. Duas amigas, dispostas a ajudar a senhora, foram testadas para conferir a compatibilidade de seus órgãos (já que é possível receber um deles de um doador vivo). Os médicos descobriram que as duas eram compatíveis com Janice. Porém, a equipe médica veio com uma nova notícia: haviam encontrado o rim perfeito para ela.

A cirurgia de Janice foi antecipada e o órgão foi aceito pela equipe médica, que não chegou a contar o histórico dele para a mulher que ia recebê-lo. O órgão tinha apenas 15% do funcionamento total e  pertencia a uma pessoa que fumava cerca de 25 cigarros por dia, tinha pressão alta. “Antes que eu pudesse tomar a decisão com o qual o doador deveria ir, o hospital me disse que eles tinham uma excelente doadora e fui apressada para a cirurgia. Ninguém nunca discutiu o estado do órgão comigo”, comentou a mulher ao jornal britânico Metro.

Após recusar o órgão, que já estava com uma pedra, Janice não poderá realizar outro transplante devido à dificuldade de compatibilidade de seu sangue, além da situação de saúde fraca em que se encontra e deverá permanecer em hemodiálise. “Janice agora está muito pior do que ela estava no começo. Ela terá de suportar a diálise pelo resto de sua vida”, comentou Paul McNeil, seu advogado.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)