Mulher caminha 30 horas na neve para salvar família

Karen Klein/Facebook

Uma mulher de 46 anos percorreu 42 km em cerca de 30 horas após o carro em que sua família viajava ficar preso na neve. Karen Klein ia do sul de Utah até o Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos, com seu marido Eric e seu filho de 10 anos, Isaac, quando o carro ficou preso em uma trincheira. Para sobreviver ao percurso, Karen teve que se alimentar de galhos e beber a própria urina.

Por ser uma triatleta, Karen determinou que ela era a mais preparada para a tarefa e saiu para buscar ajuda vestindo uma jaqueta, um boné de lã e botas, apesar da neve pesada, a falta de cobertura de telefone e nenhuma civilização próxima. Ela conseguiu chegar na rodovia, que estava fechada por conta da neve, mas decidiu continuar ao ver uma placa dizendo que havia uma entrada para um parque a 23 km.

Karen prosseguiu pela noite com a neve chegando a um metro de espessura. Depois de 30 horas, ela chegou na entrada do parque fechado e teve que quebrar uma janela para entrar, desmaiando logo em seguida. Durante o trajeto, ela tensionou um músculo da virilha, tirou uma das botas, sofreu alucinações, desidratação e exaustão.

Seu marido e o filho passaram a noite no carro e, no dia seguinte, conseguiram se locomover até encontrarem um sinal de telefone e pedir ajuda. Eles foram levados a um hospital, onde receberam tratamentos devido a ulceração causada pelo frio. No mesmo dia, uma equipe de busca encontrou deitada numa cama na cabine que ela havia invadido. Ela foi levada com hipotermia para uma unidade de cuidado intensivo em um hospital local.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Jim Driscoll, a neve no local costuma se acumular entre 7 e 91 centímetros durante o inverno. “Eu não acho que eles perceberam que era impassável”, disse ao jornal online local Philly.com. De acordo com sua irmã, Kristen Haase, Karen se encontra estável após o tratamento.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)