A recuperação após dois meses preso no próprio corpo

Incredible Medicine (BBC)/Reprodução

Talvez você já tenha passado por que chamam de paralisia do sono: estando consciente, escuta e vê tudo o que se passa ao seu redor, mas não consegue falar ou se mover. São momentos, para a maioria, totalmente angustiantes. Agora, imagine viver isso por mais de dois meses. Foi isso que aconteceu com o jovem Juan Torres, em 2013, na época com 19 anos. Mas o que acometeu Juan foi a chamada Síndrome do Encarceramento. As informações são da BBC Brasil.

Tudo de que Juan se lembra é de, certa noite, ter chegado de uma festa e ido dormir. O que ele não se lembra é de ter tido uma parada respiratória, de sua mãe ter chamado uma ambulância e, no hospital, ter sido inclusive desenganado pelos médicos. Mas o rapaz permaneceu vivo, ainda que sem nenhum tipo de resposta ou sinal de que possuía atividade cerebral – nem seus olhos piscavam, diferentes de outros pacientes que sofreram da síndrome. Porém, ele diz ter escutado tudo o que era dito ao seu redor; mas não era capaz de reagir de modo algum.

Os motivos que desencadeiam a Síndrome do Encarceramento ainda são um mistério. Da mesma forma, também não existe uma explicação para como seus pacientes se curam dela. E foi assim que, ao ser levado por seus pais para um banho de sol, Juan simplesmente foi capaz de rir de um comentário feito pela mãe. A partir daí, começou sua recuperação. Hoje, seu caso é estudado pelo neurocientista Adrian Owen, da Universidade de Ontario Ocidental, cuja pesquisa visa determinar quando há consciência ou não em pacientes em aparente estado vegetativo; alguns dados preliminares de Owen afirmam que cerca de 20% dos pacientes em coma se encontra consciente.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)