Jogo põe gringo no Brasil fugindo de assaltos

Orla Interactive/Reprodução

O polêmico jogo Run Gringo Run!, lançado durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, foi destaque no jornal norte-americano The Washington Post. No roteiro, o personagem estrangeiro – branco, de camisa florida e câmera fotográfica no pescoço – foge do litoral carioca para livrar-se de um arrastão. No caminho, cães soltos, balas perdidas e macacos, tendo ao fundo o cenário da cidade brasileira.

O jogo é uma criação da companhia brasileira Orla Interactive, que possui outros games voltados a celulares. A sátira conta ainda com colapso de ciclovias e explosões de bueiros, episódios lamentáveis recentes que marcaram o noticiário do Rio de Janeiro. O percurso pode ser feito de skate e até de parapente.

A própria divulgação do jogo dispara um “Se você imaginou que o gringo teria as férias dos sonhos ao assistir tranquilamente às Olimpíadas 2016, você se enganou”. Ao jornal norte-americano, um dos oito criadores do jogo, Luciano Nóbrega, 37, alegou que nem todo usuário vai levar em conta que as situações são baseadas na “vida real. “O jogo mostra os problemas do país de uma forma divertida, não ofensiva. Em vez de fantasmas e monstros, ele escapa de pessoas reais e um ciclovia que desaba, infelizmente, é realidade em nosso país. Tem pessoas que vão entender isso, outros vão encarar apenas como um obstáculo do jogo”, alega o profissional, que vive em Curitiba.

Por enquanto, o jogo está disponível apenas para Android.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)