Idosa morre por ferimentos causados por contato com taturana

Wkimedia Commons/Reprodução

Uma mulher de 79 anos, moradora da região Oeste de Santa Catarina, morreu em decorrência de ferimentos causados pelo contato com uma lagarta taturana. A idosa não teve sua identidade divulgada. As informações da Gerência de Saúde de Chapecó afirmam que ela faleceu dois dias após ter sido ferida pelo animal.

Deyse Angelini, bióloga da Gerência de Saúde, afirmou ao jornal Diário Catarinense que a idosa demorou algumas horas antes de procurar atendimento. Por isso, ela ressalta a importância de ir ao serviço de saúde mais próximo assim que o contato ocorrer, pois a toxina presente nos espinhos da lagarta agem mesmo que sintomas externos, como vômitos e dores de cabeça, ainda não tenham se manifestado.

A taturana é uma lagarta a espécie Lonomia oblíqua; seu corpo tem em média seis centímetros, com linhas verdes, brancas e marrons. Seus espinhos, também de cor verde, liberam um veneno ao serem tocados, provocando queimaduras na pele e podendo causar até hemorragias. Assim como acontece com cobras, caso ocorra o contato, é importante tentar capturar o animal e levá-lo para análise e produção do antídoto.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)