Homens machistas são mais suscetíveis a doenças mentais

Public Domain Pictures/Domínio Público

Um estudo elaborado pela American Psychological Association avaliou que homens machistas têm uma maior probabilidade de sofrer doenças mentais. A análise contou com mais de 20 mil participantes, avaliando sua submissão às normas do ideal de masculinidade. A pesquisa selecionou 11 modelos de comportamento que, segundo a avaliação dos psicólogos, refletia as expectativas sociais de masculinidade: Desejo de vitória, necessidade de controle emocional, tomada de decisão envolvendo riscos, violência, dominância, promiscuidade, autossuficiência, primazia pelo trabalho, poder sobre mulheres, desdém pela homossexualidade e a busca por status. A partir disso, os estudiosos analisaram a relação desses traços com resultados positivos e negativos de saúde mental, além da predisposição a buscar ajuda.

Sintomas como stress, depressão, ansiedade e abuso de substâncias foram relacionadas à conformidade com os padrões “completamente” masculinos. Entre os modelos selecionados para a pesquisa, a autossuficiência, o poder sobre as mulheres e a promiscuidade foram os mais associados aos problemas psicológicos. “Machismo é uma injustiça social e pode acabar sendo danoso a todos, incluindo aos que o perpetuam”, disse o psicólogo Joel Wong ao jornal norte-americano The Huffington Post.

O estudo contou com uma maioria de participantes caucasianos, mas teve participação também de negros e asiáticos. Além disso, o estudo também mostrou que os homens mais conformados com os padrões masculinos são os menos predispostos a buscar ajuda para doenças. Alguns dos modelos de comportamento, no entanto, não apresentaram riscos à saúde mental. A primazia pelo trabalho, por exemplo, não foi associada a nenhum resultado positivo ou negativo, enquanto a tomada de decisões considerando riscos foi relacionada a ambos.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)