Encontrado livro mais antigo a fazer referência a Cristo

Jordan Codices/Facebook

Especialistas comprovaram a veracidade de um conjunto de 70 livros considerados como as referências mais antigas a Jesus Cristo. Encontrado na Jordânia, em 2008, pelo beduíno israelense Hassan Saeda, o material tem forma de tabletes, presos por anéis. Uma análise de cristalização feita por peritos da Universidade de Surrey indica que o livro tem entre 1,8 mil e 2 mil anos. Os testes de alta tecnologia utilizaram uma amostra comparativa de chumbo da Roma antiga, que ajudaram os estudiosos na comprovação da compatibilidade.

O texto, escrito em Paleo-hebraico, denota que Cristo não estaria fundando qualquer religião, mas reafirmando tradições da era do Rei Davi. O material diz ainda que o tipo de religião praticada por Jesus seguia os fundamentos de um grupo religioso hebraico que conseguia ver a própria face de Deus no interior do Templo de Salomão – e que este Deus, sem sexo definido, seria ao mesmo tempo masculino e feminino. Os apóstolos Tiago, Pedro e João são mencionados nos manuscritos, além da presença de mulheres no sacerdócio de Jesus. Em 2009, os arqueólogos e autores religiosos Jennifer e David Elkington iniciaram uma campanha em defesa da proteção e reconhecimento desse material, para evitar que seja vendido ao mercado negro. O Departamento de Antiguidades de Amã, capital da Jordânia, emprestou o livro a ambos para estudos – entre eles, um é compatível com a descrição do Apocalipse, por conter sete selos.

“Apesar de não contradizerem nenhuma das narrativas estabelecidas, os textos enfatizam o templo físico da crença no divino feminino – conhecido como Espírito Santo para os cristãos – e no papel de Cristo em proteger uma linhagem de hebreus em vez de fundar seu próprio movimento”, disse David ao The Mirror. “Esses códices – manuscritos antigos em forma de livro – aparentam revelar o que aconteceu depois, um capítulo faltando nos evangelhos”, acrescenta.

De acordo com a Bíblia (hebraica), o Templo de Salomão era o Templo Sagrado da Jerusalém antiga, que teria abrigado a Arca da Aliança, que continham os tabletes originais dos dez mandamentos. No entanto, nenhuma escavação arqueológica foi permitida no local nos tempos modernos.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)